Operadoras poderão bloquear chips pré-pagos se recadastramento não for feito

Para atualizar os dados, o usuário deve entrar em contato com a operadora e informar dados como nome completo, número de CPF em que a linha está cadastrada e endereço com CEP.

Em 18 de abril deste ano, diversas operadoras de telefonia móvel começaram a realizar um recadastramento para as linhas de telefone da modalidade pré-pago que tinham alguma pendência cadastral no estado de Goiás. E para alertar os clientes da necessidade do recadastramento, as operadoras enviaram um SMS com os documentos necessários para a atualização dos dados.

Para aqueles que receberem a mensagem informando sobre a situação, a atualização de informações é obrigatória. Inicialmente, esse procedimento iria até o dia 24 de junho, porém, ele foi estendido até 5 de julho como uma maneira de atingir mais clientes. Caso ela não ocorra no prazo estipulado, a operadora poderá bloquear o chip até que a situação seja regularizada.

Essa medida está amparada pela Lei 10.703/2003 e pela resolução 477/2007, da Anatel. Para atualizar os dados, o usuário deve entrar em contato com a central de atendimento de sua operadora e informar dados como nome completo, número de CPF em que a linha está cadastrada e endereço com CEP.

Essa atualização cadastral é a primeira parte de um projeto, e deve se estender pelo restante do ano. Em 2020, uma segunda fase será introduzida e as empresas vão adotar uma nova modalidade para a ativação de novos chips de planos pré-pago.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: