Search
Close this search box.

Golpe fracassado na Guiné-Bissau deixa seis mortos

Pelo menos seis pessoas morreram em tentativa fracassada de derrubar o presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embalo, informou a rádio estatal nesta quarta-feira (2), enquanto moradores da capital voltavam cautelosamente à vida cotidiana.

Os mortos no incidente de ontem incluem quatro agressores e dois membros da guarda presidencial, disse a emissora.

Embalo anunciou, na noite de terça-feira, que a situação estava sob controle depois que tiros ecoaram por mais de cinco horas perto de um complexo do governo onde era realizada reunião de gabinete.

O país da África Ocidental, que tem população de cerca de 2 milhões, já viu dez golpes ou tentativas de golpe desde a independência de Portugal em 1974. Apenas um presidente democraticamente eleito completou o mandato.

A África Ocidental foi atingida por uma série de golpes militares nos últimos 18 meses, incluindo dois no Mali, um na Guiné e um em Burkina Faso na semana passada.

O contexto parecia diferente na Guiné-Bissau. Ainda não ficou claro quem estava por trás do ataque, mas Embalo sugeriu ligações com a luta do governo contra o tráfico de drogas, e não com plano do Exército para tomar o poder.

“Não foi apenas golpe. Foi uma tentativa de matar o presidente, o primeiro-ministro e todo o gabinete”, disse.

O ataque “foi bem preparado e organizado e também pode estar relacionado a pessoas envolvidas no tráfico de drogas”, acrescentou, sem dar mais detalhes.

País empobrecido na costa, a Guiné-Bissau é importante ponto de trânsito de cocaína latino-americana com destino à Europa, contribuindo para a instabilidade da região.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.

Compartilhe nas Redes

últimas noticias