fbpx

Indígenas warao recebem ação alusiva ao Dia Mundial de Lavagem das Mãos

A Prefeitura de Manaus realizou nesta quinta-feira, 15/10, uma ação alusiva ao Dia Mundial de Lavagem das Mãos, com crianças dos dois abrigos de acolhimento a refugiados e migrantes indígenas venezuelanos, gerenciados pelo município. O intuito é garantir o combate efetivo à Covid-19, além de tornar as crianças agentes multiplicadoras de bons hábitos na prática de promoção à saúde.

Por meio do Distrito de Saúde (Disa) Oeste, da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), a atividade instruiu as crianças sobre as técnicas de lavagem das mãos. “Hoje estamos trabalhando de forma prática com as crianças, mas, dentro de toda a rotina de promoção à saúde com o povo indígena, vamos realizar rodas de conversas para fortalecer o hábito na comunidade. Essa não é uma ação isolada, ela faz parte de toda uma atenção que a prefeitura vem prestando aos abrigados”, ressaltou a gerente do Disa Oeste, Altemira Diniz.

A atividade aconteceu de forma lúdica e prática, administrada por agentes de saúde da Semsa, que apresentaram técnicas de como lavar corretamente as mãos e explicaram a importância da combinação da água e o sabão. “A gente aprendeu que é muito importante sempre lavar as mãos com água e sabão, para garantir nossa saúde”, disse Oscarina Calderon, 12, indígena warao que participou da atividade.

Para a chefe do escritório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em Manaus, Debora Nandja, o trabalho visa incentivar bons hábitos. “O Unicef se reúne com os demais órgãos da prefeitura para reforçar a promoção da saúde ao povo indígena venezuelano. Não só para prevenir a Covid-19, mas toda e qualquer doença que estejamos vulneráveis, munindo eles de hábitos mais saudáveis”, comentou.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o simples fato de lavar a mão reduz em 40% as chances de contaminação de diversos tipos de doenças com gripe, infecção no estômago, conjuntivite, entre outros. A ação contou com o apoio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), que vem continuamente trabalhando no acompanhamento e assistência dos residentes.

“O atendimento da prefeitura é continuo, principalmente nesse período de pandemia. Assim, com os nossos parceiros, todas as atividades acontecem de forma contínua, se tornando referência a outros municípios e Estados no trabalho de assistência com a comunidade dos indígenas venezuelanos”, destacou a diretora do Departamento de Proteção Social Especial (DPSE) da Semasc, Mirella Lauschner.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *