fbpx

“ZFM é um ativo para o país”, afirma Gerdau a Wilson

O empresário Jorge Gerdau, presidente do conselho de administração do Grupo Gerdau que lucrou R$ 2,5 bilhões em 2018, afirmou que a Zona Franca de Manaus (ZFM) é um ativo que o país tem e que precisa ser considerada na reforma tributária.

A opinião fez parte da conversa que o empresário de siderurgia, e também presidente do conselho superior do Movimento Brasil Competitivo (MBC), teve nesta quinta-feira, dia 4, com o governador Wilson Lima (PSC), antes de palestrar sobre  experiências de gestão privada aplicadas ao setor público, na sede do governo. 

Leia mais 

Valor diz que Zona Franca de Manaus é lucrativa ao país

Gerdau afirmou que tem mantido diálogos com a equipe econômica do governo federal para construção de um novo desenho de política fiscal que contribua para o desenvolvimento do setor produtivo. Para ele, a reforma tributária terá que considerar o polo industrial estabelecido na Zona Franca de Manaus (ZFM).

“Realmente existe uma responsabilidade enorme, né? Porque é um projeto que tomou dimensões fantásticas, a Zona Franca. E dentro dessas evoluções que estão pela frente do sistema tributário, isso é um tema que o Brasil está atrasado na reformulação, nós temos que achar um caminho de como atender esse projeto da Zona Franca de Manaus, porque é um trabalho grande e muito bem feito. Então, tem que se achar os caminhos, achar o equilíbrio para que se possa fazer uma evolução do sistema tributário, mas também reconhecer que a Zona Franca de Manaus é um ativo que o país tem e que tem que ser conduzido de uma forma harmônica”, afirmou.

Reforma

Wilson Lima também falou do andamento da reforma administrativa de seu governo que adotará modelo de governança voltado a resultados, inclusive com metas a serem cumpridas pelo secretariado. 

“O MBC tem trabalhado conosco nas soluções de gestão para o Estado do Amazonas, e o doutor Jorge Gerdau traz uma experiência grande nesse sentido, para que haja o entendimento de todas as pessoas que fazem parte do Governo do Amazonas, do avanço que precisamos dar na administração pública, no sentido de modernizar a máquina e torná-la cada vez mais eficiente”, destacou Wilson Lima, ao ressaltar que a reforma administrativa estadual está sendo construída também a partir de conversas com representantes da sociedade civil organizada, incluindo lideranças empresariais, e com o Legislativo.

Na elaboração da reforma administrativa, o governador também ressaltou que o trabalho, com a consultoria do MBC, está sendo feito alinhado à definição do Plano Plurianual (PPA) 2020-2023, que inclui o diálogo com representantes dos municípios do interior do estado. “Também já estamos construindo com o MBC um plano de longo prazo, em um cenário para 2030, para servir de base para as novas gerações”, adiantou.

Com a reforma, detalhou Wilson Lima, estão sendo estabelecidos modelos de governança internos, que deverão ser seguidos por todos os gestores e demais servidores, e de governança externa, para aprimorar a interlocução com a sociedade e os poderes Legislativo e Judiciário. Internamente, explicou, serão estabelecidas metas a serem cumpridas pelo secretariado para melhorar a eficiência nos serviços prestados pelo Governo.

Palestra

 Participaram da palestra na sede do Governo, todos os secretários da administração estadual direta e indireta, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), Josué Neto, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva, o presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, e o presidente da Federação do Comércio do Estado do Amazonas (Fecomércio), Aderson Frota, entre outros empresários convidados.

Foto: Divulgação/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *