Search
Close this search box.

Amazonas FC visita Novorizontino em busca da primeira vitória fora de casa

  _Onça-pintada viaja até o interior paulista para enfrentar Tigre do Vale. Partida acontece nesta terça-feira (18), às 20h, no estádio Jorjão_ *Fotos: João Normando/AMFC* Em duelo válido pela 11° rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o Amazonas FC volta a campo nesta terça-feira (17), às 20h (horário de Manaus), para enfrentar o Grêmio Novorizontino, no estádio Jorge Ismael de Biasi, o Jorjão, localizado em Novo Horizonte (SP). Este será o primeiro confronto na história entre as duas equipes aurinegras. Atualmente na 14° colocação na tabela com 11 pontos conquistados, a Onça-pintada busca sua primeira vitória fora de casa na competição. Para isso, o meia Diego Torres, que já atuou na equipe paulista, falou sobre o confronto e o que espera do seu reencontro com o Tigre do Vale. “Vai ser um jogo difícil, eles possuem um estilo de jogo bem parecido com a gente, então quem tiver melhor no jogo poderá sair vitorioso. Mas estamos confiantes para que a gente possa ir bem nessa partida e poder ir em busca dos três pontos”, disse o meio-campista argentino. O duelo desta noite terá transmissão ao vivo e com imagens pela TV Brasil, Premiere e canal GOAT.

Pré-candidato Roberto Cidade critica gastos excessivos com tinta e propõe políticas sociais em Manaus

O apoio à pré-candidatura de Roberto Cidade (UB) à Prefeitura de Manaus tem crescido a cada reunião. Na noite da última terça-feira (18/6), nos bairros Parque 10 e Aleixo, zona Centro-Sul, um grande número de pessoas manifestou apoio ao deputado estadual. Durante o encontro, Cidade apresentou as prioridades de seu Plano de Governo e criticou o uso de R$ 42 milhões em pintura de vias públicas, sugerindo que esse montante poderia ter sido empregado para apoiar as famílias carentes por nove meses. “Temos que tirar o pincel da mão deste prefeito e colocar alguém que saiba administrar com responsabilidade e compromisso social. Tenho percorrido todas as zonas de Manaus e visto de perto o anseio da população. Ninguém aguenta mais tanta pintura e pouca entrega. Nossa primeira iniciativa, em janeiro de 2025, será enviar para a Câmara Municipal de Manaus um projeto para criar o Auxílio Municipal Permanente, que ajudará a matar a fome de 50 mil famílias. Se os R$ 42 milhões gastos com tinta tivessem sido destinados a essas pessoas, elas poderiam ter sido assistidas por pelo menos nove meses”, afirmou Cidade. Uma das principais propostas de seu Plano de Governo é a criação do Auxílio Municipal Permanente, uma transferência de renda que beneficiará 50 mil famílias já no primeiro ano. O auxílio será destinado principalmente a mulheres chefes de família, seguindo o modelo do Auxílio Estadual Permanente. A deputada estadual Alessandra Campelo (Podemos), que implementou o programa Prato Cidadão, reforçou a importância dessa assistência social e cobrou a entrega de creches e o aumento de vagas nas escolas municipais, para que as mães possam trabalhar fora de casa. “A fome não espera, e nós temos que ajudar as famílias a terem uma melhor qualidade de vida. Isso inclui empregos, mas como as mulheres podem trabalhar se não há creches ou vagas nas escolas? O atual prefeito prometeu creches e não entregou, prometeu aumentar as vagas nas escolas e não fez. Roberto é um político comprometido com as questões que beneficiam as mulheres e será um excelente gestor para elas”, disse Campelo. A deputada estadual Joana Darc (UB) também testemunhou o comprometimento de Cidade com diversas causas. “Estou ao lado de Roberto Cidade porque vejo seu trabalho na Assembleia Legislativa, sempre respeitoso e comprometido com as causas que levamos a ele. Assim é com a causa da mulher, da pessoa com deficiência, e da causa animal. Ele cumpre com a palavra e será assim também na Prefeitura de Manaus”, declarou. Prioridades do Plano de Governo Além do Auxílio Municipal Permanente, as prioridades de Cidade incluem a ampliação e o armamento da Guarda Municipal e a implementação de 12 Unidades de Pronto Atendimento (UPA) em todas as zonas da capital, ao longo de quatro anos. “Manaus possui apenas 385 guardas municipais, um número insuficiente para atender às demandas da cidade. Vamos realizar concurso público para ampliar a guarda com mais mil agentes já no primeiro ano e armar todos os guardas municipais. Assim, poderão auxiliar efetivamente na segurança das praças, prédios e logradouros públicos”, destacou Cidade. Quanto às 12 UPAs, o pré-candidato reconhece a dificuldade, mas acredita que com planejamento e administração comprometida, o compromisso é viável. “Nosso plano de governo é viável. Não estamos apenas prometendo, estamos nos comprometendo. Implementar as UPAs é um desafio, mas tenho coragem para assumir a atenção básica de Manaus como deve ser. O SUS não envia recursos para manter UPAs porque aqui não temos nenhuma. Fortaleza e Salvador, por exemplo, recebem. Manaus é a única entre as 10 maiores capitais do país que não tem pronto-socorro municipal. Vamos ter UPAs funcionando 24 horas, com médicos, exames básicos e dispensação de medicamentos. Esse é um compromisso pelo bem da população, que não aguenta mais ter que ir de madrugada para a porta de UBS para conseguir uma ficha para consulta médica”, concluiu.

UEA celebra vencedores do 5° Prêmio de Turismo Maria Helena Fonsêca

  _Além de troféus, medalhas e certificados, os ganhadores receberam os valores de R$ 1,5 mil, R$ 1 mil e R$ 500 para o 1°, 2° e 3° lugares, respectivamente_ Como forma de incentivar e valorizar a produção científica, a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) realizou, na terça-feira (18/6), o 5° Prêmio de Turismo Maria Helena Fonsêca. A cerimônia ocorreu na Escola Superior de Artes e Turismo (Esat/UEA), localizada na avenida Leonardo Malcher, 1.728, Praça 14, e premiou iniciativas acadêmicas na área do Turismo que atendam, no mínimo, a um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Promovido por meio do Laboratório do curso de Turismo da UEA, com o apoio de instituições parceiras, o prêmio foi criado com o objetivo de unir ciência, inovação e turismo como possibilidade e oportunidade de identificar reconhecer iniciativas inovadoras que contribuam para fortalecer os ecossistemas e a biodiversidade do estado do Amazonas, por meio da economia gerada pela atividade do turismo. Representando o reitor da UEA, Prof. Dr. André Zogahib, a vice-reitora, Prof.ª Dra. Kátia Couceiro, afirmou que é uma honra para a universidade promover um evento tão importante. “Os prêmios, certamente, irão estimular os estudantes e profissionais. Parabenizo todos os participantes e agradeço, em nome da UEA, pelo prestígio”, disse. Nesta edição, o prêmio foi dividido em dois editais. O primeiro, teve como foco estudantes e egressos com propostas de “Ideias e Soluções para o setor de turismo”, com duas subcategorias: instituições e empresas; e destinos e atrativos turísticos. O segundo edital premiou profissionais ativos ou aposentados da área do turismo, por meio das subcategorias: Profissionais da Academia, Profissionais da Gestão Pública e Profissionais da Iniciativa Privada. Além de troféus, medalhas e certificados, os ganhadores receberam os valores de R$ 1,5 mil, R$ 1 mil e R$ 500 para o 1°, 2° e 3° lugares, respectivamente. *Reconhecimento* Na 1ª edição do prêmio, a escolha do nome foi feita para homenagear a professora e empresária Maria Helena Fônseca que completou, em 2016, 50 anos de contribuição para o ensino e desenvolvimento do Turismo no Amazonas. “Sou uma pessoa privilegiada e abençoada por Deus. É uma honra ser homenageada em vida. O prêmio tem sido fundamental para dar visibilidade à UEA, motivando o público a participar das votações. Nosso desejo é que todos os trabalhos apresentados sejam colocados em prática”, finalizou a professora. Na solenidade, foram homenageados, também, os seguintes profissionais em reconhecimento à contribuição ao setor: João Carvalho de Araújo; Prof. Me. José Carlos da Silva Lima; Prof.ª Dra. Glaubecia Teixeira da Silva; e Mario Reynaldo Tadros (in memoriam). A próxima edição do Prêmio Maria Helena Fonsêca está prevista para acontecer no dia 8 de maio de 2025. *Sobre o prêmio* O Prêmio de Turismo Maria Helena Fonsêca é uma iniciativa do Laboratório do Curso de Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (Labotur/UEA), com apoio da Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo (ABBTUR-AM), Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Eventos (Padev); Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Vereadora Professora Jacqueline; Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio/AM), entre outras instituições. Com foco na Agenda 2030 e nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), objetiva identificar e premiar projetos acadêmicos, concluídos ou em andamento, desenvolvidos na área do turismo no Amazonas, relacionados aos setores público e/ou privado. *Confira os vencedores dos primeiros lugares da 5ª edição, por categoria.* *Categoria “Ideias e Soluções para o setor de turismo”* Matheus Reis de Souza Paiva e Adrienna Araújo de Carvalho – Modalidade acadêmico de ideias e soluções para instituições e empresas Jonathan Walker Batista Soares – Modalidade acadêmico de ideias e soluções para destinos e atrativos turísticos Júlio César Santana Sales – Modalidade turismólogo de ideias e soluções para instituições e empresas Thaís Brito Soares Reis – Modalidade turismólogo de ideias e soluções para destinos e atrativos turísticos *Categoria “Profissionais do Turismo”* Ronisley da Silva Martins – Academia Adalberto Pinheiro – Iniciativa privada Thyrso Muñoz de Araújo – Gestão pública FOTOS: Daniel Brito/UEA *UEA apresenta Sistema de Previsão de Secas e Enchentes para Bacia do Rio Madeira* _O sistema visa criar um serviço avançado de previsão sazonal de secas e enchentes_ Com o objetivo de oferecer previsões detalhadas sobre chuva, níveis dos rios, áreas de inundação e temperatura do ar na bacia amazônica, o Laboratório de Modelagem do Sistema Climático Terrestre da Universidade do Estado do Amazonas (Labclim/UEA) desenvolveu o Sistema de Previsão de Secas e Enchentes em Apoio à Gestão da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Madeira. O sistema de previsão hidroclimática, desenvolvido por pesquisadores, professores e alunos da UEA, do Instituo Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Labclim/UEA, oferece previsões detalhadas sobre chuva, níveis dos rio…

Defensoria Pública leva assistência jurídica para o Sul do Amazonas

Acontece desde o dia 17, até 21 de junho, o Programa Justiça Itinerante Cooperativa na Amazônia Legal, nos municípios de Humaitá e Lábrea, no Sul do Amazonas. A ação, que é realizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), conta com mais de 50 instituições para promover acesso à justiça nesta região. A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) participa da programação com assistência jurídica em todas as suas áreas de atuação e com atividades de educação em direitos feitas para a comunidade. Durante cinco dias, nos dois municípios, a DPE realizará atendimentos na área da família, criminal, registro público, entre outros.  A programação da ‘Justiça Itinerante Cooperativa na Amazônia Legal’ acontece em Humaitá de 17 a 19 de junho, no CETI tarcila Prado de Medeiros Mendes, BR230 KM 3,5, S/N, São Cristóvão.  Em Lábrea, de 20 a 21, no CETI – Agostinho Enersto de Almeira, Rua Agostinho Enersto de Almeira, S/N, Bairro Pantanal.  Para a defensora pública do Polo Purus, Amanda Farias, tudo que estiver ao alcance da Defensoria será feito durante o Programa ‘Justiça Itinerante’. “Seja na área da família, na área de registros públicos, não iremos restringir por área. Iremos atentar todas as áreas. O que mais tem aparecido pra gente é voltado aos Registro Públicos, com isso nós já encaminhamos para o cartório e muitos deles já tem o caso resolvido no mesmo dia.”, afirmou.  Outros serviços também serão ofertados, como emissão de documentos, ingresso em ações trabalhistas, fundiárias, ambientais, além de oficinas e rodas de conversa. Foto: Divulgação Fonte

DPE-AM participa de mutirão de cidadania da Sejusc em Parintins

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) participou de um mutirão de cidadania realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), nesta terça-feira (18), no Centro Educacional de Tempo Integral (CETI) Gláucio Gonçalves, na cidade de Parintins. A defensora Letícia Ornelas, do Polo do Baixo Amazonas, explicou que a DPE-AM participou da ação prestando assistência jurídica, integral e gratuita a todos que procuraram os serviços da instituição no mutirão. Em razão do serviço de emissão de Carteira de Identidade Nacional (CIN) estar sendo oferecido no mutirão, os atendimentos da Defensoria Pública relacionados a registros públicos foram os mais procurados. “Atendemos diversas demandas, principalmente demandas de registros públicos, que apareceram em alta quantidade. Na hora de tirar a identidade, muitos assistidos identificam problemas nos registros de nascimento, de casamento e aqui no mutirão eles já podem resolver diretamente com a Defensoria, sem a necessidade de agendar o atendimento ou procurar os nossos serviços em outro dia. Isso facilita, portanto, o acesso à Justiça e permite que a gente peça o serviço mais rápido e mais eficiente”, destacou Letícia Ornelas. “Entre ontem e hoje, nós ofertamos diversos serviços para a população parintinense, entre eles a emissão da nova carteira de identidade, a CIN. Tivemos aqui diversos parceiros como a Defensoria Pública, temos aqui o ponto de atendimento virtual em parceria da Sejusc com a Receita Federal. Ainda tivemos várias ofertas de créditos através de Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam). Também entregamos documentos que foram solicitados durante outros mutirões em comunidades próximas”, explicou Júlio Pereira, coordenador da ação. Segundo a defensora pública Letícia Ornelas, mutirões de cidadania como este são extremamente importantes, principalmente nesse período do Festival Folclórico, quando o fluxo de pessoas aumenta muito em Parintins. “É muito importante que os órgãos trabalhem ainda mais ativamente e com mais intensidade na garantia de acesso aos serviços públicos e à Justiça. É isso que a Defensoria esteve fazendo aqui hoje, como um dos órgãos integrantes deste mutirão da Sejusc”, ressaltou. Um dos atendidos pela DPE-AM durante a ação foi o pescador Claudimilton Canto. “Gostei muito do serviço. Isso agiliza muito o lado da gente. Eu só tenho a agradecer”, declarou. Foto: Luciano Falbo/DPE-AM Fonte

Sine Amazonas divulga 117 vagas de emprego para esta quarta-feira

O Governo do Amazonas, por meio do Sine Amazonas, coordenado pela Secretaria Executiva do Trabalho e Empreendedorismo (Setemp), órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), divulga 117 vagas de emprego disponíveis para esta quarta-feira (19/06). Os interessados em concorrer às vagas devem comparecer na sede do Sine Amazonas, localizada na Galeria+, avenida Djalma Batista, 1.018 (entre o Amazonas Shopping e o Manaus Plaza Shopping). A distribuição das senhas e atendimento são realizados das 8h às 14h. Para o cadastro, devem apresentar comprovante de vacinação (Covid-19), currículo e documentos pessoais (RG, CPF, PIS, CTPS, comprovante de escolaridade e residência). Não é necessário apresentar cópias, somente os documentos originais. As oportunidades de emprego são de diversas empresas e instituições do Amazonas, e os detalhes das vagas serão informados pelos empregadores. Agências do Sine Amazonas O Sine Amazonas funciona em outros postos, e o cidadão pode comparecer a um deles caso não consiga ir até o posto central, são eles: PAC Studio 5, PAC Alvorada, PAC Via Norte e PAC Shopping Cidade Leste. Vagas Disponíveis 05 VAGAS: ATENDENTE DE LANCHONETE Escolaridade: Ensino Médio Completo Primeiro Emprego ou com experiência na função. Desejável cursos de Atendimento ao Cliente, Informática Básica e Operador de Caixa. Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa e currículo atualizado. 02 VAGAS: OPERADORA DE CAIXA Escolaridade: Ensino Médio Completo. Primeiro Emprego ou com experiência na função. Desejável ter cursos na área e/ou Atendimento ao Cliente, Operador de Caixa e Informática. Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa e currículo atualizado. 02 VAGAS: ATENDENTE DE DELIVERY Escolaridade: Ensino Médio Completo. Primeiro Empregoou com experiência na função. Desejável ter cursos na área e/ou Atendimento ao Cliente, Operador de Caixa e Informática. Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa e currículo atualizado. 01 VAGA: AJUDANTE DE OBRAS (PRIMEIRO EMPREGO) Escolaridade: Ensino Médio Completo. Primeiro Emprego. Ter disposição para trabalhar na área da CONSTRUÇÃO CIVIL. Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 01 VAGA: VENDEDOR INTERNO – CHURRASQUEIRAS Escolaridade: Ensino Médio completo. Com experiência na área de Fabricação de Telhas e/ou Churrasqueiras. Obrigatório ter cursos na área de Vendas, Informática Básica, Noções de Cálculos. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 01 VAGA: AJUDANTE DE PRODUÇÃO – CHURRASQUEIRAS Escolaridade: Ensino Fundamental ou Médio completo. Com experiência na área de Fabricação de Telhas e/ou Churrasqueiras. Desejável ter cursos na área. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 03 VAGAS: AUXILIAR DE VENDAS – TELEVENDAS Escolaridade: Ensino Médio completo e/ou Superior cursando em Administração. Com experiência na função ou em Vendas de Medicamentos. Desejável ter cursos na área e/ou Atendimento ao Cliente, Informática Básica, Técnicas de Vendas. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 03 VAGAS: AUXILIAR DE COZINHA II Escolaridade: Ensino Médio cursando. Com experiência na função. Desejável ter cursos na área e/ou Manipulação de Alimentos. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 03 VAGAS: CHAPEIRO Escolaridade: Ensino Médio cursando. Com experiência na função. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 06 VAGAS: ATENDENTE DE RESTAURANTE Escolaridade: Ensino Médio cursando. Com experiência na função. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 03 VAGAS: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS III Escolaridade: Ensino Médio cursando. Com experiência na função. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 01 VAGA: PORTEIRO Escolaridade: Ensino Fundamental completo. Com experiência na função. Desejável ter conhecimento em Pacote Office. Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 01 VAGA: COORDENADOR ADMINISTRATIVO Escolaridade: Ensino Superior completo em Administração. Com experiência na função e/ou Rotinas Administrativas, Coordenação de Equipes. Desejável ter cursos na área Administrativas e Pacote Office. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 01 VAGA: ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Escolaridade: Ensino Médio completo. Com experiência na função. Desejável ter cursos na área Administrativas e Pacote Office. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 02 VAGAS: CHURRASQUEIRO Escolaridade: Ensino Médio Completo. Com experiência na função. Desejável ter cursos de Manipulação de Alimentos. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 04 VAGAS: VENDEDOR – AUTOMOTIVO Escolaridade: Ensino Médio Completo. Com experiência em vendas de peças automotivas. Desejável ter cursos na área e/ou Informática Básica. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 15 VAGAS: SERRALHEIRO JR. Escolaridade: Ensino Médio Completo. Com experiência na função ou em consertos e confecção de peças metálicas (mesas, estantes, bancadas). Obrigatório ter cursos de NR 11, NR 12, NR 18, NR 20 e NR 35 atualizados. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 02 VAGAS: ARTÍFICE Escolaridade: Ensino Médio Completo. Com experiência na função. Desejável ter curso de Eletricista, Refrigeração, Soldador ou Marcenaria. Disponibilidade de horário.OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 02 VAGAS: AUXILIAR DE COZINHA Escolaridade: Ensino Médio Completo. Com experiência na função. Desejável ter cursos na área e/ou Manipulação de Alimentos. Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 02 VAGAS: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS Escolaridade: Ensino Médio Completo. Com experiência na função. Desejável ter cursos na área Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 02 VAGAS: CUMIM Escolaridade: Ensino Médio Completo. Com experiência na função. Desejável ter cursos na área. Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 01 VAGA: VENDEDOR EXTERNO Escolaridade: Ensino Médio completo. Com experiência na função. Desejável ter cursos na área. Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 01 VAGA: SUPERVISOR (A) DE PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA Escolaridade: Ensino Superior cursando ou completo, Com experiência na função. Curso Superior em Administração, Engenharia da Produção, Tecnologia em Produção Industrial. Desejável ter cursos de Segurança Alimentar, NR-12, Liderança e/ou outros equivalentes, e pertencentes à área alimentícia. Disponibilidade de horário. OBS: Ter documentação completa, dispensa militar e currículo atualizado. 14 VAGAS: AGENTE DE PORTARIA Escolaridade: Ensino Médio completo. Com

Cigás reúne-se com representantes de órgãos para tratar sobre treinamento simulado de 2024

Representantes de diversos órgãos das esferas estadual e municipal participaram da primeira reunião sobre o novo Simulado Externo de Emergência da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás). Previsto para acontecer no mês de agosto, o evento visa aperfeiçoar os procedimentos de segurança operacional e as práticas de prevenção adotadas pela concessionária, responsável pelos serviços públicos de distribuição e comercialização de gás natural. Na ocasião, foram feitos os primeiros alinhamentos referentes ao evento. Um dos aspectos abordados foi o local definido para o simulado, que será no ramal Mauá, situado na avenida Autaz Mirim, bairro São José. A escolha do local foi baseada em estudos de impacto de vizinhança e análise de risco da rede de distribuição de gás natural (RDGN), os quais abrangeram identificação, análise e avaliação dos potenciais riscos das instalações da Companhia a fim de testar a estrutura de respostas à emergência. Também foi tratado sobre a demarcação do perímetro de segurança e o cenário a ser reconstituído para o simulado. O gerente da Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde da Cigás, Derjam Oliveira, que está à frente do setor responsável pelo treinamento, avaliou positivamente a reunião. Segundo ele, foi importante analisar conjuntamente as oportunidades de melhoria em relação ao simulado anterior e compreender como cada órgão convidado a participar pode contribuir para que seja possível realizar o treinamento da maneira mais assertiva possível para a comunidade. Ele destacou o alto nível de segurança do sistema de distribuição de gás natural, construído com base em rígidas normas de segurança, e afirmou que a realização deste tipo de exercício é importante para mostrar à sociedade o quanto é seguro trabalhar com gasodutos e ainda, integrar a atividade da Companhia a de outros órgãos.  “Essa parceria é importante porque as atuações de todos os órgãos externos são inerentes à preservação da vida”, disse o gerente, salientando que a realização do simulado também atende a uma condicionante prevista na Licença de Operação da Companhia, concedida pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam). A representante do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amazonas (CBMAM), sargento Aretha Gomes, ressaltou a iniciativa da Companhia. De acordo com ela, o Corpo de Bombeiros trabalha na área de prevenção e todos os simulados são bem-vindos porque o objetivo é testar o conhecimento e o efetivo operacional. “Ficamos lisonjeados quando o CBMAM é incluído como um dos principais órgãos a serem inseridos em um simulado com relação à questão de segurança, isso é muito importante”, afirmou. Participaram da reunião representantes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amazonas (CBMAM), Polícia Militar (PMAM), Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU); Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu); Defesa Civil Estadual e Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados e Contratados do Estado do Amazonas (Arsepam). Desde o início de sua operação comercial, em 2010, já foram realizados nove treinamentos desta natureza pela Companhia de Gás do Amazonas, os quais ocorreram anualmente, exceto durante o período de restrições decorrentes da pandemia. A rede de distribuição de gás natural já atinge 293 quilômetros de extensão, por meio dos quais, a Cigás atende unidades consumidoras dos segmentos termelétrico, industrial, veicular, comercial, residencial e autogeração/liquefação. FOTO: Cristiana Gomes/Cigás Fonte

PGE-AM convida Bombeiros e Policiais Militares para novo mutirão de acordos

A 1ª Câmara de Prevenção e Resolução Administrativa de Conflitos (CPRAC) da Procuradoria Geral do Estado (PGE-AM) promove um novo mutirão de acordos voltado para bombeiros e policiais militares do Amazonas. O mutirão ocorrerá nos dias 24, 25 e 26 de junho, no auditório da PGE-AM (rua Emílio Moreira, 1308, Praça 14), das 9h às 12h.  O público-alvo são bombeiros militares, oficiais e praças, incluídos nas propostas de promoção por antiguidade ou merecimento programadas para 21/04/2023 constantes dos BARs 24/2023 e 25/2023 ou dos BGs 62/2023 e 65/2023, bem como Policiais Militares, oficiais e praças, incluídos nas propostas de promoção por antiguidade ou merecimento programadas para 21/04/2023 constantes do BR 23/2024 ou BG 104/2024. Acordos firmados no mutirão terão inclusão em folha a contar de 1º/08/2024 e publicação da promoção no Diário Oficial do Estado em até 30 dias da intimação da homologação judicial do acordo. É importante que todos os que tiverem interesse na celebração de acordo nos termos propostos compareçam pessoalmente ou se façam representar, pois não será possível manter a mesma data de inclusão em folha em outros momentos. O comparecimento e a celebração do acordo são sempre facultativos, esclarece a coordenadora da 1ª CPRAC, Procuradora Élida de Lima Reis Corrêa. Solicita-se que os que não puderem comparecer nas datas especificadas, mas tiverem interesse em firmar acordo, se façam representar por pessoa de sua confiança, por intermédio de procuração. No caso dos militares que já tenham judicializado suas pretensões, mas tenham interesse em firmar acordo, devem indicar seu interesse ao advogado constituído e solicitar que este, em assim entendendo, compareça nos mesmos dias e horários para tratativas. Documentação necessária Os interessados devem estar munidos dos seguintes documentos, original e cópia: Cópia do Boletim que veicula a proposta de promoção, com o nome do militar destacado; documento de identificação com foto, número de registro e CPF (preferencialmente a identidade funcional); último contracheque; comprovante de residência em nome próprio ou, caso em nome de terceiro, acrescido da declaração de residência. Em caso de militar representado, além dos documentos citados acima, devem comparecer levando a procuração devidamente preenchida com firma reconhecida em cartório; contato telefônico do procurador e do representado; identidade, CPF e comprovante de residência. Canais de informação Para mais informações, a 1ª CPRAC dispõe dos seguintes canais de comunicação: Agendamento eletrônico: www.pge.am.gov.br; Whastapp: (92) 3649-3184; Telegram: (92) 99171-3873; E-mail: 1cprac.pgeam@gmail.com; SIGED: Destino “CPRAC/PGEAM”. FOTO: Divulgação/PGE  Fonte

Justiça manda Google retirar postagens policiais que disseminam ódio

As postagens veiculadas por policiais que disseminam discursos de ódio em programas de podcast e videocast no YouTube estão suspensas por determinação da Justiça Federal. A decisão atendeu parcialmente a pedidos do Ministério Público Federal (MPF) e da Defensoria Pública da União (DPU). A medida liminar atinge conteúdos específicos dos canais Copcast, Fala Glauber, Café com a Polícia e Danilsosnider.. De acordo com a ação, as postagens configuram também abusos no direito à liberdade de expressão. Ao decidir pela suspensão, e não exclusão definitiva, dos conteúdos, a Justiça quer assegurar a tutela de direitos humanos sem comprometer a liberdade de expressão e a atividade econômica dos réus, mantendo a reversibilidade da decisão até o julgamento final. O procurador regional dos Direitos do Cidadão adjunto do MPF no Rio de Janeiro, Julio Araujo, classificou a medida como fundamental para combater esse tipo de postagem. “O estímulo à violência policial contido nesses vídeos estigmatiza a população negra, pobre e periférica, merecendo resposta do Estado e atuação da empresa que hospeda os canais”, avaliou. A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro também foi notificada para prestar informações sobre os procedimentos adotados para efetivar os termos da Instrução Normativa nº 0234/2023 (sobre o controle de postagens em redes sociais). O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro foi oficiado para que, no prazo de 15 dias, manifeste se tem interesse em compor o polo ativo da ação civil pública. Discurso de ódio O caso começou a ser apurado pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do MPF no Rio de Janeiro por meio de inquérito civil, após reportagens do Ponte Jornalismo – site de jornalismo independente – destacarem o conteúdo violento veiculado por policiais em diversos canais do YouTube, em programas de podcast e videocast. Na ação civil pública ajuizada em maio, o MPF e a DPU solicitaram à Justiça Federal a exclusão imediata dos trechos mencionados na ação e da adoção proativa de medidas pelo Google para casos futuros. Também foi solicitada a fiscalização e moderação, pelo Google, do conteúdo postado em canais específicos, como Copcast, Fala Glauber, Café com a Polícia e Danilsosnider. A intenção é que a empresa implemente um planejamento que permita a análise contínua do conteúdo e a rápida exclusão de material discriminatório. Indenização Ainda foi requerido à Justiça que determine ao Estado que regulamente discurso de ódio por membros da Polícia Militar, incluindo-o na Instrução Normativa nº 0234/2023, com a adoção de medidas disciplinares em relação aos casos já mencionados e descritos na ação judicial. Por fim, o MPF e a DPU solicitaram ainda a condenação do Google ao pagamento de indenização de R$ 1 milhão e, dos policiais, de R$ 200 mil por danos morais coletivos.  A Agência Brasil não conseguiu contato com o Google até o fechamento da matéria. A Polícia Militar ainda não respondeu ao pedido. Fonte

DPE-AM recomenda medidas para a manutenção da rodovia AM-254, devido às condições precárias

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) recomendou, em conjunto com o Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), melhorias e manutenção da rodovia AM-254, que liga a BR-319 ao município de Autazes, em razão das condições precárias na estrutura. Conforme informa a recomendação, em maio, foi realizada uma visita que constatou as más condições para o tráfego na rodovia, apresentando deformidades na pista e excesso de buracos no asfalto. O defensor público Murilo Menezes explicou que a ausência de manutenção na rodovia causa riscos de danos materiais e até para a integridade física da população de Autazes, que utilizam a via frequentemente. Além disso, existem duas comunidades com população vulnerável, a Novo Céu e a Monte Sinai, nas proximidades da AM-254. “A AM-254 é a principal via de transporte terrestre para a cidade de Autazes, sendo utilizada para todos os fins, e com relação aos assistidos da Defensoria Pública, é o acesso de diversas comunidades que se localizam naquele entorno aos serviços prestados somente na zona urbana daquela cidade, como serviços bancários, serviços relacionados à assistência social, serviços de saúde, serviços do INSS”, disse. Ainda em maio, a DPE-AM solicitou informações à Secretaria Estadual de Infraestrutura do Estado do Amazonas (Seinfra) a respeito das condições da rodovia e solicitando o apontamento de cronograma para a solução do problema. Em resposta, o órgão informou que “não há contrato vigente ou projeto em elaboração para manutenção ou de revitalização da via”, mas que o serviço está inserido “nos planos de futuros projetos”. A recomendação, assinada pelo defensor Murilo e pelo promotor de Justiça Carlos Dantas, solicitou à Seinfra que seja apresentado um projeto de manutenção da rodovia AM-254, indicando as providências para planejamento, licitação, contratação e execução de serviço de manutenção de trafegabilidade. O cronograma para a realização dessas etapas também foi requisitado. “A DPE oficiou a Seinfra inicialmente a fim de verificar sobre a existência de algum plano de manutenção e diante da resposta inicial do órgão estadual, que entendemos como não satisfatória para o caso, expedimos a recomendação conjunta com o Ministério Público local. A partir da resposta a esta recomendação é que iremos verificar quais são as medidas pertinentes para o caso, inclusive a necessidade de medidas judiciais”, concluiu o defensor. Foto: Divulgação Fonte

Doação de mudas de laranja e limão incentiva agricultura familiar no Amazonas

Com perseverança, entusiasmo e perspectiva em acreditar no potencial produtivo e econômico da citricultura amazonense, três produtores rurais de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus) estão próximos de colher os seus primeiros frutos de laranja e limão. Eles foram beneficiados pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), com mudas de citros (laranja e limão). A ação de fomento é uma iniciativa da Sepror em conjunto com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), e a Agência de Desenvolvimento do Amazonas (ADS). Cada produtor recebe 1 kit, que contém, 30 mudas de café robustas amazônico para desenvolver a cafeicultura, e o kit de citros, com 10 mudas de limão e 20 de laranja. Os irmãos Edson Duarte de Lima e Maria Elane Duarte Lima foram beneficiados com a entrega das mudas. Desde então, acreditam na atividade como uma alternativa econômica, e que logo os seus frutos estarão disponíveis no mercado e feiras locais. “O projeto já está dando certo, esse aqui é um plantio que não tem nem dois anos. E esse incentivo do governo está ótimo. E eu espero que continue ajudando não só a mim, mas também como outros produtores que também querem entrar no mercado”, comentou Edson que também se dedica à piscicultura e avicultura. Cada um deles possui a sua propriedade rural. Eles apostam em suas produções como uma atividade rentável. “A minha expectativa é grande, é ter fé que tudo vai dar certo quando chegar a época da produção mesmo, que seja uma produção boa e possa tirar o que investimos e termos um lucro bom para conseguir fazer mais plantio de cítricos”, destacou Maria Elane, produtora rural. O processo das mudas de laranja e limão para que os frutos sejam colhidos pelos três produtores rurais leva mais ou menos cerca de dois a quatro anos. Josué Pessoa também foi um dos produtores beneficiados. Ele lembra que a plantação de suas mudas foi realizada no dia 22 de fevereiro de 2022.  “Esse projeto começou em 2022 e é um projeto que veio ajudar os agricultores familiares, para trazer mais renda. Ele traz para nós uma esperança de que o produtor não está desamparado, mostra que o projeto dá certo quando você bota em prática. Essa minha muda já está com dois anos e já tem fruto”, destacou. Em média, cada um deles poderá colher aproximadamente 10 mil frutos de laranja e 7 mil de limão nos próximos meses. Investimento O Governo do Amazonas investiu R$ 407 mil em fomentos na agricultura familiar, nesses primeiros 5 meses de 2024, na aquisição e entrega de mudas de citros (laranja e limão), e mudas de café. Em 5 meses, já foram entregues 21.450 mudas de café distribuídos para 715 produtores rurais, e 13.650 mudas de citros, entre limão e laranja, para 455 agricultores familiares. “Esse ano, a ação já alcançou os municípios de Borba, Careiro Castanho, Iranduba, Manacapuru, Novo Airão, Rio Preto da Eva, Itacoatiara, Itapiranga, Presidente Figueiredo, Barreirinha, São Sebastião do Uatumã, Urucará, Parintins, Guajará, Ipixuna, Canutama, Manicoré, e a zona rural de Manaus”, lembrou o titular da Sepror, Daniel Borges. Mais informações Para mais informações, o produtor interessado pode procurar uma das unidades locais do Idam em seu município. FOTO: Isaac Maia/Sepror Fonte

Mineradoras querem impedir que municípios movam ações no exterior

O Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), que representa as maiores mineradoras do país, moveu uma ação onde busca impedir que municípios brasileiros ingressem com ações em tribunais estrangeiros. A entidade alega ser inconstitucional que entes federativos se envolvam em litígios no exterior. O caso foi levado ao Supremo Tribunal Federal (STF) na semana passada. O ministro Cristiano Zanin foi nomeado relator. A movimentação inaugurou uma batalha judicial. Dois dias depois, o Consórcio Público de Defesa e Revitalização do Rio Doce (Coridoce) solicitou para ingressar no processo. Ele é composto pelos prefeitos dos municípios envolvidos em um processo judicial em tramitação no Reino Unido, que discute a reparação dos danos do rompimento da barragem da mineradora Samarco. No episódio ocorrido na cidade de Mariana (MG) em novembro de 2015, uma avalanche de rejeitos foi liberada, causando 19 mortes e afetando centenas de cidades ao longo da bacia do Rio Doce. Insatisfeitos com o processo reparatório no Brasil, cerca de 700 mil atingidos e 46 municípios, além de empresas e instituições religiosas acionaram as cortes britânicas visando responsabilizar a BHP Billiton. A mineradora anglo-australiana, com sede em Londres, é uma das acionistas da Samarco. A multinacional brasileira Vale, outra sócia, foi posteriormente incluída no processo. Audiências marcadas para outubro deste ano irão avaliar a responsabilidade das duas mineradoras. De acordo com nota divulgada pelo Ibram, a ação levada ao STF é uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) que tem o objetivo central de resguardar a soberania brasileira. A entidade alega que, sem passar pelo crivo da Justiça brasileira, a transparência das ações movidas no exterior fica comprometida. Além disso, sustenta que a participação do Ministério Público nos processos envolvendo entes federativos é obrigatória, o que ficaria inviabilizado em casos que tramitam fora do país. “Ações ajuizadas no exterior por municípios escapam do controle do Poder Público, não obedecem a princípios constitucionais e a organização do Estado brasileiro. Por não passarem pelo crivo do Poder Judiciário brasileiro e tramitarem perante jurisdição estrangeira, fica prejudicada a transparência dos processos e a participação do Ministério Público, essenciais para defender a ordem jurídica brasileira e promover a pacificação social”, registra o texto. O Ibram afirma ainda que a judicialização fora do país vem afetando a mineração e gera consequências adversas para o setor. Acrescenta que é competência privativa da União tratar de assuntos internacionais e que é vedado aos municípios se relacionarem diretamente com Estados ou jurisdições estrangeiras. “Dessa forma, qualquer ação judicial proposta no exterior pelos municípios deve contar com a anuência da União”, finaliza a entidade. O escritório Pogust Goodhead, que representa os atingidos e municípios na ação movida no Reino Unido, divulgou nota em que o advogado Tom Goodhead classifica a ação do Ibram como um “movimento aparentemente orquestrado” e uma “cortina de fumaça” para desviar a atenção do crime socioambiental cometido na bacia do Rio Doce. Ele menciona ainda ações que tramitam em outros países. Sete municípios atingidos pela tragédia de 2015 processaram subsidiárias da Vale e da Samarco sediadas na Holanda. Já na Alemanha, o município de Brumadinho (MG) integra uma ação movida contra a Tüv Süd, consultoria que assinou o laudo de estabilidade da barragem da Vale que se rompeu em 2019. No episódio, 272 pessoas morreram, incluindo nessa conta os bebês de duas vítimas que estavam grávidas. “Não é uma coincidência que as mineradoras que processamos no exterior sejam associadas ao Ibram”, afirmou. Reação A reação dos municípios que integram o Coridoce é assinada pelo advogado e ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Eles criticam o Ibram por levantar a questão faltando quatro meses para as audiências marcadas pela cortes britânicas para julgar as responsabilidade da BHP Billiton e da Vale. Alegam se tratar de uma manobra para que municípios brasileiros afetados por tragédias não possam utilizar jurisdições estrangeiras para buscar medidas reparatórias para os danos causados. O prefeito de São José do Goiabal (MG) e presidente do Coridoce, José Roberto Gariff Guimarães, afirmou em nota se tratar de uma movimentação para impedir que a justiça seja realizada e para retardar a reparação. “A atitude das mineradoras reflete suas ações nos últimos sete anos, ou seja, tentam de todas as maneiras se eximirem do crime por elas cometido”. O Coridoce também considera que o Ibram não tem legitimidade para apresentar a ADPF. Dizem ainda que a entidade quer obrigar os municípios a concordarem com acordos reparatórios nos quais não são ouvidos. No Brasil, o processo reparatório gira em torno do Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) – firmado entre as três mineradoras, a União e os governos de Minas Gerais e do Espírito Santo. Com base nele, foi criada a Fundação Renova. Ela assumiu a gestão de mais de 40 programas, cabendo às mineradoras o custeio de todas as medidas. Porém, passados mais de oito anos, a atuação da entidade é alvo de diversos questionamentos judiciais e desde 2022 há uma tentativa de repactuação do processo reparatório, capaz de apontar solução para mais de 85 mil processos que tramitam sobre a tragédia. Os município novamente não participa das tratativas, que atualmente registram um impasse porque os valores propostos pelas mineradoras ainda não atenderam às expectativas da União e dos governos de Minas Gerais e do Espírito Santo. A movimentação do Ibram também foi criticada pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). A entidade anunciou que entregou uma carta ao STF solicitando audiência com o ministro Cristiano Zanin. “Não pode haver dúvida de que o Ibram tenta se utilizar da ação para defender interesses puramente comerciais das mineradoras que cometeram no Brasil alguns dos maiores crimes ambientais da história, e buscam a qualquer custo se esquivar do dever de reparação. Inclusive, a ação é assinada pelos advogados que representam a mineradora anglo-australiana BHP nas questões relacionadas à tragédia de Mariana”, diz o documento. Fonte

STF retomará julgamento sobre descriminalização do porte de drogas

O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para a próxima quinta-feira (20) a retomada do julgamento sobre a descriminalização do porte de drogas.  Em março deste ano, a análise do caso foi interrompida por um pedido de vista feito pelo ministro Dias Toffoli. Antes da interrupção, o julgamento contava com placar de 5 votos a 3 para a descriminalização somente do porte de maconha para uso pessoal. Conforme os votos proferidos até o momento, há maioria para fixar uma quantidade de maconha para caracterizar uso pessoal, e não tráfico de drogas, que deve ficar entre 25 e 60 gramas ou seis plantas fêmeas de cannabis. A quantidade será definida quando o julgamento for finalizado. O Supremo julga a constitucionalidade do Artigo 28 da Lei das Drogas (Lei 11.343/2006), que criou a figura do usuário, diferenciado do traficante, que é alvo de penas mais brandas. Para diferenciar usuários e traficantes, a norma prevê penas alternativas de prestação de serviços à comunidade, advertência sobre os efeitos das drogas e comparecimento obrigatório a curso educativo para quem adquirir, transportar ou portar drogas para consumo pessoal. A lei deixou de prever a pena de prisão, mas manteve a criminalização. Dessa forma, usuários de drogas ainda são alvos de inquérito policial e processos judiciais que buscam o cumprimento das penas alternativas. No caso concreto que motivou o julgamento, a defesa de um condenado pede que o porte de maconha para uso próprio deixe de ser considerado crime. O acusado foi detido com 3 gramas de maconha. Fonte

Procon-AM autua posto de combustível por venda de combustível adulterado

O Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-AM) autuou um posto de combustível localizado na avenida Max Teixeira, bairro Cidade Nova, zona norte de Manaus, para prestar esclarecimentos sobre a venda de combustível adulterado. A ação foi desencadeada após uma denúncia realizada através das redes sociais, que mencionava a comercialização de gasolina comum e aditivada de origem duvidosa. Durante a fiscalização, os frentistas do posto confirmaram que o combustível apresentava características suspeitas. De acordo com o diretor-presidente do Procon-AM, Jalil Fraxe, o órgão recebeu denúncia através das redes sociais sobre um posto de combustível que estaria vendendo gasolina adulterada. Durante a fiscalização, os fiscais do Procon confirmaram junto aos frentistas que eles tinham conhecimento das suspeitas sobre a qualidade do combustível. “Estamos iniciando um processo de investigação para responsabilizar aqueles envolvidos na venda deste produto adulterado. Após a conclusão do relatório da fiscalização, aplicamos as sanções adequadas e encaminhamos o caso às autoridades policiais para averiguação de possíveis crimes,” disse Jalil Fraxe. A ação de fiscalização contou com a presença do presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC) da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Mário César Filho (UB), que colaborou com a realização da inspeção junto aos fiscais do órgão. “Como presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Aleam é meu dever garantir a proteção dos consumidores contra qualquer prática que ameace a sua segurança e os seus direitos”, afirmou o deputado. O posto de gasolina foi notificado e tem um prazo de 10 dias para fornecer esclarecimentos sobre as notas fiscais de compra dos produtos em questão, bem como as notas de devolução correspondentes. Também foi solicitado que sejam realizados exames técnicos com amostras da gasolina para verificar se houve ou não adulteração do combustível. Em caso de confirmação de adulteração, o posto pode ser multado. O valor da multa pode variar conforme a gravidade da infração e o número de reincidências. Dependendo da gravidade, o posto pode ter suas atividades suspensas até a regularização. Medidas de Prevenção Verificação de notas fiscais: Ao abastecer, solicite a nota fiscal para ter um registro da compra. Desconfie de preços muito baixos: Preços muito abaixo da média do mercado podem ser indicativos de combustível adulterado. Avaliação de desempenho do veículo: Fique atento ao desempenho do seu veículo após abastecer. Queda no rendimento pode ser um sinal de combustível adulterado. FOTO: João Pedro/Procon-AM Fonte

Festival de Parintins 2024: A histórica competição folclórica dos bois-bumbás Caprichoso e Garantido

História dos dois bumbás de Parintins começa no início do século XX cercada de misticismo e religiosidade O Festival de Parintins é considerado o maior espetáculo a céu aberto do mundo. O evento marca, há mais de 50 anos, a competição folclórica dos bois Caprichoso e Garantido, que se enfrentam apresentando 21 itens em uma arena nomeada de ‘Bumbódromo’. A primeira edição da festa foi em 1965, mas a história dos bumbás é contada desde 1913. Este ano, na 57ª edição, que será realizada nos dias 28, 29 e 30 de junho, o Caprichoso, que defende a cor azul, tentará o 26º título com o tema ‘Cultura – O Triunfo do Povo’. E o Garantido, representado pela cor vermelha, buscará o 33º título, com o tema ‘Segredos do Coração’. Caprichoso De acordo com Márcio Braz, que é membro do Conselho de Artes do Caprichoso, o Touro Negro nasceu no ano de 1913, pelas bandas do Urubuzal, em Parintins. Nascido das mãos de Roque Cid e seus irmãos, Antônio Cid, Beatriz Cid e Pedro Cid, naturais de Crato, no Ceará, o boi azulado carrega em sua história muita ancestralidade.   O ponto de partida é quando os irmãos resolvem seguir para rumos diferentes em busca de uma vida melhor e saem do Nordeste. O mais velho, Pedro Cid, resolveu ficar em Belém, pois precisava de trabalho urgentemente. Os outros, Roque Cid, Antônio Cid e Beatriz Cid, seguiram para Parintins. Em 1913, os Cid ainda não haviam concretizado todos os seus sonhos de prosperar na nova terra e escutam sobre um boi de nome Caprichoso, que ficava na Praça 14 de janeiro, em Manaus. Os irmãos decidem, então, criar um boi também chamado Caprichoso, com a promessa de conseguir prosperidade naquela terra e proporcionar, todos os anos, festejos para a população. Assim, nasce o boi conhecido como ‘Touro Negro da América’, no local conhecido como ‘Esconde’, onde hoje é a Travessa Sá Peixoto. Para Márcio Braz, a negritude do boi representa muita luta e, com isso, maior identificação com os torcedores. “O Caprichoso escolheu a cor preta e tem o nome que vem de um quilombo da Praça 14. A cor e o nome surgem como uma afronta às elites locais. No início dos anos 80, a gente já falava dessa negritude na arena. Tivemos várias toadas nesse sentido, ligadas ao axé. O Caprichoso abraça os povos da Amazônia e as pessoas foram percebendo que é um boi de luta”, destacou Márcio Braz, membro do Conselho de Artes do Caprichoso. No lado sul da cidade está o reduto do Caprichoso, onde também fica localizado o Curral Zeca Xibelão. É no espaço que todos os eventos, festas e outras tradições do bumbá ainda são realizadas até os dias de hoje. Garantido O Boi Garantido também surgiu em 1913, data que é reconhecida como ano oficial de sua fundação, mediante a falta de registros oficiais desse momento histórico. Como fundador, o bumbá tem Lindolfo Monteverde, que personifica a história da agremiação detentora de 32 títulos. O nome do bumbá surgiu quando Lindolfo Monteverde, aos 11 anos, foi pedir à sua mãe para criar uma brincadeira de boi. Ao escutar que não podia, pois era uma brincadeira de adultos, o pequeno Lindolfo decidiu que um dia criaria o próprio boi, onde todas as crianças poderiam brincar e prometeu que o nome dado ao brinquedo seria ‘Garantido’. Anos mais tarde, Lindolfo ficou muito doente e fez uma promessa à São João que, se ficasse curado, criaria um boi-bumbá para sair às ruas todo dia 24 de junho. Assim, a promessa foi cumprida e, todos os anos, no dia de São João, uma reza é realizada no antigo curral do boi. Após o término da celebração, o Boi Garantido sai com a batucada e a vaqueirada pelas ruas da Baixa do São José, em agradecimento pela graça concedida há muitos anos. Segundo registros antigos, as cores vermelho e branco também tiveram origem nas cores do santo. A Baixa do São José é o reduto tradicional do Garantido, em Parintins. Localizado na parte oeste da cidade, é na Baixa que se encontra o local onde nasceu o Garantido. O lugar de eventos, reuniões e concentração tradicional é conhecido como “curral antigo”. Neste lugar, até hoje, são realizadas as celebrações de Santo Antônio e de São João, tradições influenciadas pela religião católica, traço histórico do povo parintinense. “O Garantido nasce em uma comunidade chamada Baixa do São José, que antes era chamada de Baixa da Xanda, por conta da mãe de Lindolfo, dona Alexandrina. Essa localidade, naquela época, era muito longe do Centro de Parintins, uma região que alagava. Ali, se agregavam negros, que tinham fugido do processo de escravidão, indígenas e pessoas de baixo poder econômico, que se juntaram enquanto comunidade. Então, o Garantido emerge de uma comunidade afro-indígena, formada por pessoas humildes, nascendo no meio do povo”, destacou o doutor em Sociedade e Cultura na Amazônia, Allan Rodrigues. A agremiação adotou um posicionamento politizado em suas performances, utilizando a arte como instrumento de transformação social e disseminando mensagens de tolerância, igualdade e respeito. Por meio de suas toadas, danças, cenários e figurinos, o Boi Garantido aborda temas como intolerância religiosa, igualdade de gênero, racismo e etnocentrismo, destacando a importância da diversidade cultural e da preservação das tradições amazônicas.