Search
Close this search box.

Resumo da Semana – Fatos que abalaram a cidade

Segunda-feira, 17 de junho: Resgate Dramático de Idoso em Manaus Na manhã de segunda-feira, um idoso com deficiência mental foi encontrado dentro de um bueiro no bairro Japiim, na Zona Sul de Manaus. Em pânico, ele se recusava a sair e reagiu violentamente às tentativas de resgate, dificultando o trabalho dos bombeiros. A equipe de resgate está no local desde a noite anterior, preocupada com as condições insalubres dentro do bueiro, que representam um risco à saúde do idoso. Moradores locais relataram que o idoso faz uso de medicação controlada e, após uma discussão com um vizinho na noite anterior, fugiu e se escondeu no bueiro. As equipes continuam tentando convencê-lo a sair em segurança. Terça-feira, 18 de junho: Prisões por Homicídio de Professor de Jiu-Jitsu Na terça-feira, a polícia prendeu quatro pessoas em Manaus suspeitas de envolvimento na morte de um professor de jiu-jitsu, assassinado com um tiro na cabeça no dia 8 de março, em frente à academia onde trabalhava no bairro São Raimundo, Zona Oeste da cidade. De acordo com o delegado Ricardo Cunha, um dos suspeitos era sócio da vítima em um empreendimento de joias e estava devendo R$ 300 mil. As investigações revelaram que o sócio contratou um atirador por R$ 5 mil para cometer o crime. O sócio, o atirador e mais dois envolvidos foram presos. O sócio, inclusive, compareceu ao velório da vítima e falou com a família, tentando disfarçar seu envolvimento. Terça-feira, 18 de junho: Feminicídio e Suicídio no Bairro Colônia Terra Nova Ainda na terça-feira, um motorista de ônibus identificado como Jean assassinou a esposa dentro de um micro-ônibus no bairro Colônia Terra Nova, Zona Norte de Manaus. O crime ocorreu na frente da filha do casal, uma criança de 2 anos. Após o feminicídio, Jean tirou a própria vida. De acordo com a polícia, o incidente aconteceu dentro do veículo, que fazia rota para o Distrito Industrial. Testemunhas relataram que Jean parou em um posto de combustível e esfaqueou a esposa. A criança foi resgatada por equipes do Samu e levada a uma unidade de saúde, aparentemente sem ferimentos. O Sindicato das Rotas Especiais informou que Jean já havia sido detido anteriormente por agressão à esposa, mas foi liberado em audiência de custódia.

Ex-companheiro de Djidja Cardoso e Ex-personal Hatus são presos em nova fase de investigação de Morte da Ex-sinhazinha

Manaus – Bruno Roberto, ex-namorado de Djidja Cardoso, e o coach Hatus Silveira foram presos nesta sexta-feira (7) em uma nova fase da investigação sobre a morte da ex-sinhazinha do Boi Garantido. Djidja foi encontrada morta no último dia 28 em Manaus, e a polícia suspeita de overdose de cetamina. Além de Bruno e Hatus, dois funcionários de uma clínica veterinária, suspeita de fornecer cetamina à família de Djidja, também foram detidos. Bruno foi ouvido pela polícia na segunda-feira (3) como testemunha do caso, enquanto Hatus prestou depoimento na terça-feira (4). Além deles, a mãe de Djidja, Cleusimar Cardoso, seu irmão, Ademar Cardoso, e três funcionários de uma rede de salões administrada pela empresária também estão detidos. Hatus Silveira se identificava como personal trainer de Djidja, mas a Associação dos Profissionais de Educação Física e Atividade Motora (Apefam) afirmou que ele não possui registro para exercer a profissão. Nas redes sociais, Silveira se apresenta como coach. A investigação continua a reunir provas e depoimentos para esclarecer os detalhes da morte de Djidja Cardoso, com foco na origem e no uso da cetamina suspeita de ter causado a overdose.

Caso Djidja: Ex-personal Hatus Silveira presta depoimento e afirma ter sido convidado para a seita

Manaus – Nesta terça-feira (4/6), o personal trainer Hatus Silveira prestou depoimento à Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) em relação à morte de Djidja Cardoso, que está sob investigação por suspeita de overdose de cetamina. Desabafo nas Redes Sociais Recentemente, Hatus Silveira usou suas redes sociais para fazer um desabafo detalhado, afirmando que esteve na casa de Djidja, ex-sinhazinha do Boi Garantido, e presenciou a família dela utilizando drogas. Esse testemunho reforça as investigações sobre as atividades ilícitas da família Cardoso. Acusações e Defesas Segundo a imprensa local, a defesa de Hatus afirmou à polícia que ele nunca participou da seita religiosa da família Cardoso, embora tenha sido convidado a integrá-la. Em seu depoimento, Hatus revelou um incidente ocorrido em janeiro deste ano, onde ele alega ter recebido uma aplicação de cetamina sem seu consentimento enquanto estava na casa de Djidja. Ele acusa Djidja de ser a responsável pela injeção.

Ex-namorado da sinhá Djidja Cardoso aparece e presta depoimento

Manaus – Na tarde desta segunda-feira (3), o personal trainer Bruno Roberto, ex-namorado de Djidja Cardoso, prestou depoimento como testemunha à Polícia Civil do Amazonas. A morte de Djidja está sendo investigada por suspeita de overdose de cetamina. Relato de Bruno Roberto De acordo com informações apuradas pela Rede Amazônica, Bruno Roberto afirmou em seu depoimento que se afastou de Djidja e do grupo religioso “Pai, Mãe, Vida” após ser advertido por um médico sobre os perigos do uso da cetamina. Esse grupo, criado pela família de Djidja – Ademar e Cleusimar Cardoso – está sendo investigado por tráfico de cetamina. Investigação e Grupo Religioso A polícia começou a investigar a família Cardoso há pouco mais de um mês. Segundo o inquérito, o grupo religioso incentivava o uso de cetamina para alcançar uma suposta plenitude espiritual. A situação se complicou após a morte de Djidja, levando a um maior escrutínio sobre as atividades do grupo. Bruno Roberto, que já havia seguido os ensinamentos da doutrina, decidiu cobrir uma tatuagem que fez baseada nos preceitos do grupo, simbolizando seu distanciamento.

Caso Djidja Cardoso: Polícia Desvenda Crimes de Seita Religiosa

MANAUS – A polícia civil do Amazonas deflagrou a operação “Mandrágora” na tarde da última quinta-feira (30), visando investigar uma série de crimes relacionados à seita religiosa liderada por Ademar Cardoso, incluindo estupro de vulnerável, cárcere privado e outros crimes. As investigações avançaram após a justiça decretar na tarde da última quinta-feira (30), as prisões de Ademar Farias Cardoso Neto, irmão de Djidja Cardoso, Cleusimar Cardoso Rodrigues, mãe de Djidja, Verônica da Costa Seixas, gerente do salão de beleza Belle Femme, Marlisson Vasconcelos Dantas, cabeleireiro do mesmo salão, e Claudiele Santos da Silva, maquiadora da rede de salões administrada por Djidja.   Durante as buscas nos estabelecimentos comerciais associados à rede de salões de beleza, a polícia encontrou diversas seringas contendo substâncias proibidas, prontas para o consumo. Além disso, foram realizados mandados de busca e apreensão em um pet shop, que as investigações indicam ser o fornecedor de materiais de uso restrito para a quadrilha formada pela família de Djidja.   A ex-sinhazinha, Djidja Cardoso, foi encontrada morta na residência da família na última quarta-feira (29). Uma quinta pessoa, identificada como Marlisson Vasconcelos Dantas, cabeleireiro do salão de Djidja, está foragido e sendo procurado pela polícia.   As investigações continuam, e a polícia busca esclarecer todos os detalhes e participantes envolvidos na rede criminosa.

Operação Vapor Digital Combate Contrabando de Cigarros Eletrônicos em Manaus

Nesta terça-feira (28), a Polícia Federal, a Receita Federal (RFB) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) deflagraram a Operação Vapor Digital em Manaus, visando combater crimes de contrabando, falsidade documental, uso de documento falso, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e organização criminosa. A operação mobilizou 110 policiais federais e 60 servidores da Receita Federal, utilizando 47 viaturas para cumprir 27 mandados de busca e apreensão em locais estratégicos identificados durante as investigações na capital amazonense. Também foram judicialmente suspensas as atividades econômicas dos estabelecimentos envolvidos na venda de material ilícito e bloqueados perfis de redes sociais. Investigação As investigações começaram em fevereiro de 2024, após a Receita Federal realizar três apreensões de mais de 7.500 cigarros eletrônicos em operações nos Correios e em empresas de transporte aéreo. Esses produtos estavam destinados a pessoas físicas, jurídicas e distribuidoras em Manaus. Através das diligências da PF e da Receita Federal, foram identificados 11 suspeitos e 16 estabelecimentos comerciais, principalmente tabacarias, como responsáveis pela distribuição e venda dos produtos ilícitos na cidade e nas redes sociais. Os cigarros eletrônicos são proibidos no Brasil, com a ANVISA recentemente reforçando a proibição por meio da RDC nº 855/2024. Durante as investigações, foram detectadas falsificações de documentos, especialmente de notas fiscais, utilizadas para tentar enganar as autoridades. Em um caso, uma distribuidora tentou trazer os produtos para Manaus utilizando notas fiscais que descreviam capas de telefones celulares. Foi identificado também que alguns proprietários de estabelecimentos movimentaram grandes quantias de dinheiro em espécie em um curto período. Além dos dispositivos eletrônicos ilegais, os suspeitos estão sendo investigados por vender outros produtos fumígenos ilegais, como cigarros importados e fumo para narguilé sem autorização da ANVISA. Resultados As medidas de busca e apreensão visam principalmente retirar os produtos ilícitos de circulação e coletar provas para aprofundar a investigação sobre a origem e o destino dos recursos envolvidos. Durante as buscas, foram apreendidos armas de fogo, munição, drogas, cigarros eletrônicos e grandes quantias em dinheiro. A Operação Vapor Digital destaca a atuação conjunta das autoridades brasileiras no combate ao contrabando e outras atividades criminosas relacionadas aos cigarros eletrônicos, protegendo a saúde pública e a economia nacional.

Lutador de MMA,Thiago de Mello, é preso por agredir fisicamente, injuriar e ameaçar de morte a ex-namorada

Prisão ocorreu na noite de ontem segunda-feira (20) A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) centro-sul, cumpriu, ontem segunda-feira (20), mandado de prisão preventiva contra um lutador de Artes Marciais Mistas (MMA), de 34 anos, por agressão física, injúria e ameaça de morte contra sua ex-namorada, de 31 anos. A elucidação do caso foi apresentada em coletiva de imprensa na sede da Delegacia Geral (DG) nesta terça-feira (21/05). Na ocasião, o delegado-geral adjunto da PC-AM, Guilherme Torres, destacou o excelente trabalho de investigação realizado pela DECCM Centro-sul, sob a titularidade da delegada Patrícia Leão, que resultou na solução de mais um caso de violência contra a mulher. “Vale ressaltar o apoio do Tribunal de Justiça na expedição do mandado de prisão em nome do autor, após parecer do Ministério Público do Amazonas. A Polícia Civil reafirma seu compromisso no combate aos crimes contra a mulher. Destaco, ainda, a importância das vítimas denunciarem”, destacou Torres. O delegado Alessandro Albino, diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), informou que esse crime foi bastante grave e ganhou grande repercussão. A resposta da polícia à sociedade foi a prisão do agressor. “Em Manaus, contamos com três delegacias especializadas em crimes contra a mulher, localizadas nos bairros Parque Dez de Novembro, Cidade de Deus e Colônia Oliveira Machado. Se você está sofrendo violência física ou psicológica, procure a delegacia mais próxima e denuncie. A Polícia Civil está aqui para ajudar a vítima a sair do ciclo de violência”, enfatizou Albino. Investigações Conforme a delegada Patrícia Leão, titular da DECCM Centro-Sul, as investigações iniciaram após a vítima buscar a delegacia, na madrugada do dia 4 de maio, por volta das 4h, para informar que foi agredida fisicamente pelo namorado. Segundo a delegada, eles haviam saído de um evento de aniversário no bairro Tarumã, zona oeste, com destino à casa da vítima, quando os desentendimentos iniciaram juntamente com as agressões. “Já na residência da mulher, as agressões se intensificaram, mas ela conseguiu pedir ajuda de vizinhos. No dia seguinte, ela veio à delegacia para realizar a denúncia e solicitou medidas protetivas de urgência contra o agressor. A vítima chegou a relatar que já havia sido agredida em outras ocasiões pelo homem”, contou Patrícia Leão. Na DECCM centro-sul, a vítima foi ouvida e, no decorrer das diligências investigativas, foram levantadas provas suficientes para que o mandado de prisão preventiva fosse decretado pelo Poder Judiciário. Com a ordem judicial expedida, os policiais saíram em diligências em busca do autor, mas sem sucesso, razão pela qual ele passou a ser considerado foragido da Justiça. Prisão “Devida à ampla divulgação que o caso teve, inclusive com a vítima expondo na própria rede social. Na noite da última segunda-feira (20), ele compareceu à delegacia, onde foi cumprido o mandado de prisão em nome dele”, explicou a autoridade policial. O homem responderá pelos crimes cometidos, passará por audiência de custódia e permanecerá à disposição da Justiça. Denúncias A titular da DECCM centro-sul destaca a importância das denúncias e ressalta que a vítima conta com toda uma rede de proteção. “Todos os dias recebemos denúncias e todas nós vamos averiguar. Nós registramos o Boletim de Ocorrência (BO), encaminhamos para a realização do exame de corpo de delito, fazemos a busca de pertences, temos toda uma rede de apoio para dar dignidade às vítimas”, disse Patrícia Leão. As denúncias podem ser realizadas pelo 181, disque-denúncia da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), ou pelo 180, da Central de Atendimento à Mulher.   com informações da assessoria