Search
Close this search box.

Secretaria de Cultura e Ibram debatem acerca do Plano Nacional Setorial de Museus 2025-2035

O secretário de Cultura Marcos Apolo e a presidenta do Ibram Fernanda Castro assinaram termo de cooperação técnica O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, e o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) promoveram, nesta sexta-feira (14/06), no Palacete Provincial, o primeiro evento do Programa (re)CONEXÕES na região Norte. O evento foi realizado com o apoio da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Lançado em janeiro deste ano, o (re)CONEXÕES é uma retomada do Programa Conexões, lançado pelo Ibram em 2012. O programa tem como objetivo realizar uma consulta ampla, democrática e potente, visando coletar contribuições para a construção do Plano Nacional Setorial de Museus 2025-2035, um documento de planejamento global e de longo prazo voltado ao setor museológico no Brasil. De acordo com o secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz, essa iniciativa gera um apoio fundamental, uma conexão necessária para que a sociedade possa avançar com respeito à preservação e registro da memória nos museus. Na ocasião, o secretário e a presidenta do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Fernanda Castro, assinaram termo de cooperação técnica. “Ficamos felizes em recebê-los em nossa região, em ter essa permissão e oportunidade. É a primeira vez na região Norte, começando pelo Amazonas. O governo Wilson Lima vem procurando fazer esse trabalho de manutenção e valorização da história, da memória, através de nossos museus.” destacou o secretário. “São equipamentos que servem à sociedade. Aqui, atendemos alunos de diversas idades, pesquisadores também, e integrarmos esse sistema, com demais equipamentos do país e com o governo federal. O governo federal tem sido mais presente em todo o país, saindo da capital, dialogando, chegando mais próximo, conhecendo as realidades. E isso é importante para que a gente possa evoluir nessa política pública.” afirmou o secretário. A presidenta do Ibram, Fernanda Castro, explica a importância de chegar até este momento, onde será possível estabelecer parcerias a partir de uma orientação com o Governo Federal. “A gente precisa estabelecer políticas de estado, não políticas de governo, mas políticas do estado. É isso que a gente quer fazer, construindo um Plano Nacional Setorial de Museus, o nosso PNSM. Tudo isso para que a gente chegue em novembro, no Fórum Nacional de Museus, com o nosso Plano Nacional Setorial e uma articulação nacional por meio do sistema Brasileiro de Museus.” “Nosso objetivo é também fazer com que o Sistema Brasileiro Nacional de Museus se fortaleça. É um sistema que já existia no papel há 20 anos e estamos aqui pela primeira vez assinando esse acordo para poder fazer com que o sistema no Amazonas integre o Sistema Brasileiro de Museus. E o Ibram possa apoiar as pessoas, as instituições, as secretarias e os municípios e também os agentes que estão tentando fazer com que os nossos museus aconteçam.” explica a presidenta. A professora e coordenadora geral do Comitê Gestor da Política Indigenista da Universidade federal do Amazonas (UEA), Jocilene Gomes da Cruz, destaca com orgulho a participação desse momento histórico que está iniciando “Nós estamos iniciando um processo muito relevante, quando olhamos para nossa região e entendemos que ela é grandiosa, mas grandioso mesmo é o que está dentro dela que é essa diversidade cultural extraordinária, esses incríveis lugares e pessoas que a gente precisa dar visibilidade, e que a gente precisa conhecer e precisa fortalecer. Para Jocilene Gomes, é necessário um outro movimento, que é o movimento das pessoas que estão nas comunidades, que estão nos territórios indígenas e que possuem os seus museus a partir das suas perspectivas, das suas compreensões do que sejam os seus museus, as suas casas de referência, dos seus lugares de memória, as suas casas de saberes. “enfim, todos os nomes pelos quais eles chamam os seus lugares de memória.” destaca. “Esperamos que um dia a gente possa ter. de fato, uma visibilidade ampla, um reconhecimento que a gente possa vivenciar essa cultura tão forte, tão presente, e que precisa estar nesses lugares para que sejam construídas políticas públicas que enxerguem essa diversidade, esse patrimônio cultural extraordinário.” expressa Jocilene. No evento, estavam reunidos os fazedores de cultura, profissionais de museus, grupos sociais, pessoas que dedicam a sua vida e lutam pela cultura local, pelos museus, pela museologia na cidade de Manaus. E contou também com com a cantora Simone Ávila, que cantou os sucessos, porto de lenha, brasileira, vento norte, entre outras regionalidades.

Festival de Parintins 2024: Amazonas To Go auxilia quem chega à cidade com informações turísticas

Disponibilizada pelo Governo do Amazonas, por meio da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), a ferramenta tecnológica Amazonas To Go, vai auxiliar com informação turística rápida, fácil e segura quem for prestigiar o 57º Festival de Parintins, que acontece entre os dias 28 e 30 de junho. Para facilitar o acesso durante as festividades, a plataforma criou uma aba automática que direciona para a cidade (a 369 quilômetros da capital), além de identificação visual especial de divulgação e contatos úteis. A plataforma oferece ao visitante um guia digital na palma da mão por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp, informações sobre a festa, a cidade e de como chegar. Também auxilia sobre onde encontrar atrativos turísticos e opções de coisas para fazer, meios de hospedagens, agências de turismo, restaurantes, entre outros serviços. Todos os empreendimentos sugeridos estão presentes no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), do Ministério do Turismo (MTur), e exercem atividades turísticas regularmente. Atualmente, Parintins conta com 77 prestadores de serviços cadastrados na ferramenta.

Atelier Adriano Assis Brilha no Arena dos Bumbás com Figurinos do Boi Caprichoso

“Os trajes deslumbrantes de Adriano Assis trouxeram um novo brilho ao espetáculo folclórico mais querido do Amazonas.” No último sábado, dia 25, o Atelier Adriano Assis fez história ao vestir os dançarinos da trupe do Boi Caprichoso no programa de TV “Arena dos Bumbás”, transmitido semanalmente pela TV Acritica. O espetáculo, que é uma celebração da cultura popular amazonense, ganhou um brilho especial com os figurinos deslumbrantes e inovadores criados pelo talentoso estilista Adriano Assis.   O “Arena dos Bumbás” é um dos programas mais aguardados pelos amantes do folclore local, exibindo performances vibrantes dos bois Caprichoso e Garantido. Neste episódio, o Boi Caprichoso, conhecido por sua tradição e exuberância, encantou o público com dançarinos que vestiam trajes meticulosamente desenhados por Adriano Assis. Cada peça refletia a riqueza cultural e a identidade única do Boi Caprichoso, com detalhes que homenageavam as cores e símbolos tradicionais do grupo. Adriano Assis, reconhecido por sua criatividade e precisão no design de figurinos, comentou sobre a importância deste projeto: “Vestir os dançarinos do Boi Caprichoso para um programa tão icônico é uma honra. Cada traje foi feito com muito carinho e respeito às tradições, mas também com um toque de inovação para surpreender e emocionar o público.”   Os espectadores, tanto presentes no estúdio quanto os que assistiram de casa, foram unânimes em elogiar o visual impactante dos dançarinos. As redes sociais foram inundadas com comentários de admiração pelos figurinos, destacando o talento de Adriano Assis em capturar a essência do folclore amazonense e transformá-la em arte vestível.   O sucesso dos trajes no “Arena dos Bumbás” reafirma a posição do Atelier Adriano Assis como um dos principais nomes na moda cultural do Amazonas. A parceria com o Boi Caprichoso é um testemunho do compromisso do atelier com a preservação e valorização das tradições locais, ao mesmo tempo em que impulsiona a criatividade e a inovação no design.   O episódio do último sábado ficará marcado não apenas pela performance vibrante da trupe do Boi Caprichoso, mas também pela magia dos figurinos que deram vida e cor ao espetáculo, graças ao talento inigualável de Adriano Assis e sua equipe.   “Cada traje foi feito com muito carinho e respeito às tradições, mas também com um toque de inovação para surpreender e emocionar o público.” – Adriano Assis   O “Arena dos Bumbás” do último sábado foi um verdadeiro festival de cultura e estilo, celebrando a arte e o talento do Amazonas. O Atelier Adriano Assis, com seus figurinos esplendorosos, não apenas vestiu os dançarinos do Boi Caprichoso, mas também vestiu o orgulho e a paixão de um povo por sua cultura.

Governo do Amazonas anuncia ‘Thiaguinho’ e ‘Belo’ como as atrações principais da Festa dos Visitantes 2024

Evento antecede a abertura do Festival de Parintins e acontecerá, pelo segundo ano, no Bumbódromo da cidade Os cantores Thiaguinho e Belo serão as atrações nacionais da Festa dos Visitantes 2024, que este ano acontecerá no dia 27 de junho. Assim como na edição do ano passado, a festa que antecede o Festival de Parintins, será realizada no Bumbódromo. A entrada será trocada por um quilo de alimento não-perecível, que vai ser doado para instituições indicadas pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas). Assim como em 2023, a empresa Eneva é a responsável por trazer as atrações nacionais, como forma de apoio cultural à realização do evento. Este ano, o grupo educacional Ciesa também entra como apoiador da festa. O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Economia Criativa, será a responsável pela organização da festa. Assim como em 2023, a festa dos Visitantes contará com apresentações de artistas locais, que tem se destacado no cenário musical, nos mais diversos ritmos, da toada, passando pelo pagode, e eletrônico, até o forró. “Estamos felizes com o sucesso da Festa dos Visitantes do ano passado e, neste ano, nossas expectativas são as melhores. A mudança do evento para o Bumbódromo foi bastante elogiada pelo público e se mostrou uma decisão muito acertada do governador Wilson Lima. Estamos confiantes que será novamente um espetáculo grandioso, recebendo as pessoas no melhor esquenta do Festival”, disse Marcos Apolo o secretário de cultura e economia criativa. Em 2023, a Festa dos Visitantes foi realizada pela primeira vez no Bumbódromo de Parintins e registrou a presença de um público de 20 mil pessoas, que assistiram as atrações nacionais Ludmila e Simone Mendes, além dos artistas locais de diferentes gêneros musicais, que se revezaram no palco 360º montado na arena e proporcionando uma experiência inédita aos parintinenses e visitantes. Thiaguinho Nascido no interior de São Paulo e criado no Mato Grosso do Sul, Thiaguinho cresceu ouvindo música sertaneja, ritmo predominante na cidade onde morava. Foi através do seu tio que começou a ter contato com o pagode. Seu primeiro trabalho foi no Grupo Samba e Suor, mas foi no reality show “Fama”, da TV Globo, que o cantor foi revelado. Com muito talento e carisma, Thiaguinho virou vocalista do grupo Exaltasamba, conquistou os fãs e agregou milhões de outros em todo o país, transformando o grupo no maior sucesso deste segmento no Brasil. Atualmente, após o fim do grupo musical, Thiaguinho segue carreira solo arrastando multidões por onde passa com sucessos como ‘Tá Vendo Aquela Lua’, ‘Falta Você’, ‘Sou o Cara pra Você’, etc. Belo Belo é um dos grandes nomes do pagode nacional. Natural de São Paulo, capital, o cantor teve uma infância humilde e começou a tocar cavaquinho após seu pai lhe dar o instrumento. Em 1993, o cantor passou a integrar o grupo de pagode Soweto, fazendo inúmeros shows por todo o país. Com a banda, gravou três discos. Permaneceu com o grupo até 1999, quando decidiu seguir carreira solo. Para a ‘Festa dos Visitantes 2024’, Belo cantará os seus maiores sucessos, como ‘Perfume’, ‘Desafio’, ‘Pra Ver o Sol Brilhar’, entre outras canções. Fotos: Márcio James/SEC com informações da assessoria

Oficina de criação teatral por telepresença acontece nesta sexta-feira, 4/12

Oficina de criação teatral por telepresença acontece nesta sexta-feira, 4/12 04/12/2020 11h29 Nesta sexta, 4/12, o projeto “Roque Severino: todo dia morre gente que nem vivia” inicia suas atividades com a Oficina de Criação Teatral por Telepresença, a partir das 18h30, por meio da plataforma Google Meet. O projeto nasceu a partir de um processo de inovação do Núcleo de Arte e Comunidade da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e conta com o apoio do Governo Federal e da Prefeitura de Manaus, por meio do Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais – Lei Aldir Blanc.     A Oficina de Criação Teatral em Telepresença tem como objetivo compartilhar e repassar a experiência acumulada pela equipe do projeto em dez anos de transmissão de espetáculos e performances teatrais e circenses on-line, explorando as possibilidades das transmissões ao vivo e as características das plataformas virtuais.   “Este é o tema central da oficina, mas também queremos compartilhar nossas experiências, o que a gente já montou, o que a gente já conseguiu fazer, para que possa inspirar outros artistas”, contou um dos ministrantes da oficina, o diretor cênico do espetáculo “Roque Severino”, Guilherme Carvalho, que é também criador do Portal Me Ver, pioneiro em transmissão de espetáculos on-line.   Para Carvalho, que é de Brasília e integrou a equipe do projeto a convite do Núcleo de Arte e Comunidade da UEA, este é o momento de repassar conhecimentos e criar intercâmbio entre grupos e artistas com interesse na mesma área, ou que já tenham um pouco de experiência ou vontade de ter experiências.   A oficina é gratuita e aberta a todos os interessados, em especial para quem tem interesse nas linguagens cênicas e quer experimentar e investigar novas possibilidades de se trabalhar com as artes na web. Os interessados ainda podem realizar suas inscrições pelo Portal Me Ver, pelo link www.mever.com.br.   Os oficineiros responsáveis pela atividade são Amanda Ayres (atriz, coordenadora do Arte e Comunidade e professora de Teatro da UEA), Guilherme Carvalho (diretor da obra e coordenador do Portal Me Ver), Mariana Libório (atriz do grupo Drummond na Parada), Davi Lopes (ator do grupo Drummond na Parada) e Ítalo Almeida (ator do coletivo Os Contadores de Histórias).   “A Oficina de Criação Teatral por Telepresença surge pelo desejo de democratizar o acesso ao fazer da produção artística, neste processo de isolamento, porque a gente compreende que é muito importante trabalhar com a formação de coletivos e compreender maneiras de entender processos coletivos, mantendo todas as formas de prevenção e cuidado com a saúde física e mental e, ao mesmo tempo, descobrindo maneiras de continuar produzindo arte”, ressaltou a coordenadora do projeto, Amanda Ayres, que também é atriz, teatróloga e professora da UEA.   “Roque Severino” O projeto “Roque Severino: todo dia morre gente que nem vivia” busca multiplicar, através de oficinas de formação, os processos e procedimentos de criação teatral pesquisados e desenvolvidos pela equipe juntamente a escolas da rede municipal e estadual, comunidades locais, centros de formação artística e companhias amazonenses. Além disso, o projeto tem como objetivo difundir o teatro local ao palco mundial por meio do ambiente digital.   “É importante destacar que o projeto Roque Severino entende a arte como um motor de giro social e transformação ambiental, permitindo empoderar os artistas criadores e multiplicar os procedimentos teatrais com o mínimo de recursos”, destacou Amanda.   A segunda atividade realizada pelo projeto será a Oficina de Iniciação Teatral, que acontece na próxima quarta-feira, 9, às 18h30, também por transmissão on-line. A oficina é ministrada por Gislaine Pozzetti, Francenilza Viana, Mariana Libório, Davi Lopes, Victória Muller, Jackeline Monteiro, Ítalo Almeida e Vitor Lima. As inscrições já estão abertas e também podem ser realizadas pelo site mever.com.br.   O projeto culmina no espetáculo de mesmo nome, que será transmitido on-line entre 16 a 20 de dezembro. A obra é uma adaptação dos textos “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto, e “Berço do Herói”, de Dias Gomes, e acompanha a história de Santo Roque, herói morto em combate.   Texto – Manauscult / Com informações de assessoria Foto – Divulgação / Projeto Roque Severino

Evento on-line debate arte e pandemia em todo o país

Evento on-line debate arte e pandemia em todo o país 07/12/2020 17h41 Com apoio da Prefeitura de Manaus, por meio do Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais – Lei Aldir Blanc -, a revista eletrônica “Arte Documenta!” realiza entre esta segunda, 7/12, e quarta-feira, 9/12, o webinário “Arte Pandêmica”, reunindo, de forma on-line, pesquisadoras de diferentes regiões do Brasil para debater e compartilhar seus olhares sobre a produção artística nacional neste período de pandemia da Covid-19. A programação é gratuita.     A proposta do evento on-line é construir coletivamente um diálogo sobre quais caminhos a arte percorreu e ainda vai percorrer com a existência do coronavírus, levantando problemas, soluções e novos futuros para a produção de arte no Brasil. A programação acontece por meio da plataforma Zoom, e as inscrições podem ser feitas pelo site do projeto, em www.artedocumenta.com. O evento também conta com intérpretes de Libras.   Segundo a curadora do projeto, Lu Maya, o webinário tem o intuito de compartilhar conteúdos e conhecimentos produzidos este ano. “A ideia é reunir artistas e pesquisadoras para contribuírem com seu olhar sobre como elas têm percebido nossa produção artística nestes tempos tão difíceis. As pesquisadoras convidadas são Daniele Ávila Small (RJ), Thereza Rocha (CE) e Amanda Gabriel (PE)”, contou Lu.   O webinário contará ainda com a exibição de obras que foram criadas no período de isolamento social imposto pela Covid-19. “Além desse momento mais reflexivo, com a fala das pesquisadoras convidadas, teremos a oportunidade de acompanhar três trabalhos que foram criados remotamente, nas condições encontradas pelos artistas em 2020. São obras que mesclam muito o teatro, a dança e o audiovisual. Três linguagens que se aproximaram muito em lives nas redes sociais e que achamos interessante compor nossa programação”, explicou um dos organizadores do evento, Ítalo Rui.   Arte Documenta!   Em sua sexta edição, a revista eletrônica “Arte Documenta!” está com chamada aberta para a publicação de artigos, ensaios, críticas, entre outros, até o dia 11 de dezembro, também pelo site do projeto.   O coordenador editorial Ítalo Rui afirma que a próxima edição também abordará o tema arte-pandemia. “Será uma edição especial, e nós teremos publicações de artistas como Amanda Gabriel, Thereza Rocha e Daniele Ávila Small, além de uma cobertura crítica de Francis Madson sobre o webinário, e os textos aprovados na chamada pública já lançada”, destacou.   Serão selecionadas até cinco propostas de textos, e cada contemplado receberá a quantia de R$ 450 pela publicação. Para mais informações ou em caso de dúvidas, os interessados podem entrar em contato pelo e-mail revista.artedocumenta@gmail.com, com o assunto “DÚVIDA SUBMISSÃO DE PROPOSTA”.   Serviço   O quê: Webinário “Arte Pandêmica” Quando: De 7/12 (segunda) a 9/12 (quarta-feira) Onde: Evento on-line – Programação e inscrições pelo site www.artedocumenta.com   Programação (horários de Manaus)   7/12 (segunda) 16h às 17h – Debate “Afetos Tentaculares – O teatro por convivialidade remota no Brasil de 2020”, com a pesquisadora Daniele Ávila Small 17h às 18h – Espetáculo “Estar em nós”, de Juliana Tavares 18h às 18h40 – Conversa entre a pesquisadora e os artistas da noite pela plataforma Zoom   8/12 (terça) 18h às 19h – Debate “Ato de costas”, com a pesquisadora Thereza Rocha 19h às 20h – Espetáculo “Cimento que se move”, do Teatro Interrompido 20h às 21h – Conversa entre a pesquisadora e os artistas da noite pela plataforma Zoom   9/12 (quarta) 18h às 19h – Debate “A potência dos encontros e os desafios pós-pandêmicos”, com a pesquisadora Amanda Gabriel 19h às 20h – Projeto “Encontros”, de Júlia Kahane 20h às 21h – Conversa entre a pesquisadora e os artistas da noite pela plataforma Zoom   — Texto – Divulgação / Manauscult Foto – Divulgação

‘Passeio Cultural’ leva entretenimento aos amazonenses pela web

A iniciativa busca apresentar exposições, espetáculos, museus e visitas turísticas que acontece no Amazonas como opção de lazer Manaus – O público amazonense terá um novo entretenimento midiático com a estreia do quadro “Passeio Cultural”. Desde a última sexta-feira (18), já é possível conferir tudo que está rolando no circuito que envolve exposições, espetáculos, museus e visitas turísticas no Amazonas. A iniciativa do Governo do Amazonas, será transmitida no Instagram e Facebook da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, numa parceria com a Secretaria de Comunicação Social (Secom) e apresentação de Moacyr Massulo. Segundo o secretário Marcos Apolo Muniz, a proposta é apresentar dicas culturais alinhadas às ações da pasta, que, desde abril, período de pico da pandemia, tem investido em produtos para as plataformas digitais. Ele explica que, desta forma, é possível atender a diferentes públicos. “É um conteúdo relevante que mistura atrações culturais e turísticas, permanentes ou temporárias”, destaca o titular da pasta. “A cada semana, vamos apresentar um tema para levar o público para dentro dos nossos espaços e contamos com o apoio do Governo na estrutura, para elevar ainda mais a qualidade”, destacou orgulhoso.   Formato O quadro “Passeio Cultural” foi produzido pelo Núcleo Audiovisual da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, em parceria com a Secom, será exibido às sextas-feiras. Os vídeos têm até 3 minutos, com dicas de passeios culturais e entrevistas com artistas e público. “O nosso objetivo é comunicar as ações do Governo a todos os cidadãos do Amazonas, por isso buscamos investir cada vez mais em tecnologias, ferramentas e ampliar nosso alcance nas plataformas digitais”, afirma o secretário de Comunicação Social, Rodrigo Araújo. Na estreia, o espectador vai conferir a visita noturna no Teatro Amazonas, com direito a acompanhar trechos dos ensaios dos Corpos Artísticos do Estado. “Temos um cronograma fechado até dezembro para apresentar o circuito cultural e, principalmente, mostrar os protocolos de segurança dos espaços e estender a programação para quem segue em isolamento social”, comentou o apresentador Moacyr Massulo. Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa está no Youtube, Instagram, Facebook e Twitter (@culturadoam) e no aplicativo Cultura.AM. *Com informações da assessoria

Mestre Pinheiro, pesquisador e produtor musical, morre em Manaus aos 68 anos

Pinheiro se dedicou a estudos sobre a Música Popular Brasileira, em especial ao Samba. Morreu na noite desta sexta-feira (18), em Manaus, o pesquisador e produtor musical José Roberto Pinheiro. Ele tinha 68 anos e sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico. Mestre Pinheiro, como era conhecido no segmento musical, se dedicou a estudos sobre a Música Popular Brasileira, em especial ao Samba. De acordo com a Secretaria de Cultura do Amazonas, ao longo de sua via, ele uniu duas paixões, a música e a fotografia, para montar o maior acervo fotográfico sobre a história do Samba de Manaus. Mestre Pinheiro era torcedor da Reino Unido da Liberdade, e o velório acontece no “Terreirão do Samba Mãe Zulmira”, quadra da escola do Morro da Liberdade. O enterro será às 15h, no Cemitério Parque Tarumã. O Bar do Armando e a Banda da B.I.C.A declararam luto pela morte de Pinheiro, que foi um dos compositores das marchinhas de Carnaval da banda. “Mestre Pinheiro era uma enciclopédia viva do samba em nossa cidade. Dono de um dos maiores acervos musicais e fotográficos de Manaus, deixa nossa cidade e a todos nós mais empobrecidos de seus conhecimentos. Voa, Mestre!”, diz um trecho da nota. Ele deixa esposa, quatro filhos, uma enteada e quatro netas. Fonte: G1

Após três anos, Carnaboi é anunciado de volta à agenda do Carnaval de Manaus

Edição de 2018 vai acontecer no dia 12 de fevereiro no Sambódromo com a presença de 18 artistas. Última edição da festa ocorreu em 2015 acritica.comManaus (AM) O Governo do Amazonas aposta na retomada do Carnaboi, o carnaval com o ritmo do Amazonas, para fomentar o turismo durante a folia de momo no Estado. A edição 2018 do evento vai ser realizada no dia 12 de fevereiro, no Sambódromo de Manaus, e contará com a presença de 18 artistas. A realização do Carnaboi terá a assinatura da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) e da Associação dos Intérpretes e Compositores do Amazonas, com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura (SEC). O anúncio da realização do evento ocorreu no final da tarde de quarta-feira (10), após reunião entre artistas e os titulares da Amazonastur e SEC, Orsine Junior e Denilson Novo, respectivamente. O formato da festa momesca com o ritmo dos bumbás será debatido na próxima sexta-feira (12), na sede da Amazonastur, localizada na avenida Santos Dumont, nº. 1350, bairro Tarumã, zona oeste de Manaus. A última edição da festa ocorreu em 2015. O presidente da Amazonastur, Orsine Junior, considera que o resgate do Carnaboi tem a proposta de fortalecer a identidade cultural do Estado e contribuir ainda mais com a cadeia produtiva do turismo. “O Governo é um indutor do evento e o sucesso depende dos artistas, por isso, se faz necessário que  se dediquem ainda mais para apresentar shows diferenciados e de muito bom gosto”, disse o titular do órgão. O secretário de Cultura, Denilson Novo afirmou que o momento é de muito trabalho para resgatar o valor da festa, trazendo assim o grandioso público que sempre participou do Carnaboi. “Estamos unidos para resgatar uma das festas de carnaval mais diferenciadas do País”, destacou. Vitória para artistas O trabalho de resgate do Carnaboi foi considerado uma grande vitória para os artistas de boi-bumbá, segundo o cantor de toadas Prince do Caprichoso. Ele disse ainda que o apoio do Governo do Amazonas mostra que a cultura não era e nunca será empecilho para nenhuma gestão pública. “Éramos vistos como um grande peso para as finanças dos ex-gestores e o Governador Amazonino Mendes teve que voltar para mostrar que não somos isso. A festa vai renascer e o melhor é que temos à frente uma pessoa que conhece muito bem o setor de eventos, o presidente Orsine tem um papel fundamental nesse novo momento que vamos passar”, pontuou o artista. Receptivo no aeroporto Durante o período carnavalesco o Governo do Amazonas, por meio da Amazonastur, vai preparar um receptivo especial no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes como ocorre em todos os anos, ação que contará com o apoio da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Na chegada, os turistas serão recepcionados ao som de muito carnaval e de boi-bumbá, além de receber todo material turístico do Estado.

Teatro Amazonas será aberto para visitação todos os dias a partir deste mês

Tem entrada gratuita amazonenses mediante comprovação da naturalidade, crianças até 10 anos e pessoas com deficiência acritica.com A partir deste domingo (14) o Teatro Amazonas abrirá diariamente para visitas guiadas. Além de funcionar de terça a sábado, das 9h às 17h, o local funcionará também aos domingos e segundas-feiras, das 9h às 14h. Tem entrada gratuita amazonenses mediante comprovação da naturalidade, crianças até 10 anos e pessoas com deficiência. A iniciativa da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) é promover um encontro de amazonenses com espaços culturais e fortalecer os setores de cultura, turismo e economia. “Nós estamos trabalhando no sentido de potencializar resultados em todas as atividades da SEC. Abrir as portas do Teatro Amazonas para visitantes diariamente é mais uma mudança que promovemos para oferecer aos cidadãos amazonenses e turistas a oportunidade de melhor usufruir dos nossos equipamentos culturais”, afirmou o secretário de Cultura, Denilson Novo Nas visitas guiadas, crianças até 10 anos, pessoas com deficiência e pessoas nascidas no Amazonas, mediante comprovação da naturalidade, têm entrada gratuita. O secretário Denilson Novo reforçou que a gratuidade é uma forma de aproximação da população com a cultura do Amazonas. “O conhecimento da nossa história e a aproximação direta com o maior ícone da cultura do Estado não tem preço. Todo amazonense merece um momento especial no interior do nosso templo das artes”, comenta o secretário. Os demais visitantes pagam R$ 20 no preço do ingresso inteiro e R$ 10 a meia-entrada para estudantes, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue, militares e acompanhantes de pessoas com deficiência, mediante a apresentação de documentos. Visita guiada Na visita guiada, o público tem a oportunidade de conhecer o Salão Nobre do Teatro, o Salão de Espetáculos, o Salão Verde de Ópera, onde estão as maquetes de alguns espetáculos encenados no Festival de Ópera; uma maquete do Teatro Amazonas feita com blocos de Lego, o Espelho de Cristal, uma escultura de bronze do artista francês Guadez, a Saleta de Exposição “Arquitetura” e “Seringal”, bustos, sapatilhas e figurinos de Ópera, Camarim Cenográfico e a exposição do bailarino amazonense Marcelo Mourão Gomes. Serviço O quê: visitas guiadas no Teatro Amazonas Data/hora: de terça a sábado, das 9h às 17h; e domingos e segundas, de 9h até 14h Local: Teatro Amazonas, localizado na avenida Eduardo Ribeiro, 659, Centro *Com informações da assessoria de imprensa

Projeto desenvolve gibi de educação ambiental para jovens ribeirinhos

A obra foi distribuída em novembro e dezembro nas comunidades da RDS do Uatumã (Itapiranga) e RDS do Juma (Novo Aripuanã) Laynna FeitozaManaus (AM) Crianças e adolescentes ribeirinhos de Unidades de Conservação do Amazonas agora sabem um pouco mais sobre as mudanças climáticas e seus impactos. Tudo graças a um pequeno gibi, que utiliza os quadrinhos para sensibilizar acerca dos papéis e benefícios de florestas e terras bem cuidadas. O gibi de educação ambiental “Turma do Dicara – Contra o Aquecimento Global” teve uma tiragem de 150 exemplares, distribuídos em novembro e dezembro nas comunidades da RDS do Uatumã (Itapiranga) e RDS do Juma (Novo Aripuanã). Um dos desenvolvedores do material, o biólogo e arte educador Emerson Pontes explica que o projeto contemplou adolescentes e jovens atendidos pelo Programa de Desenvolvimento Integral de Crianças e Adolescentes Ribeirinhos na Amazônia (Dicara), da Fundação Amazonas Sustentável, e destaca que o gibi aborda questões como planos de gestão, ciclo dos gases e de vida das árvores, além de práticas como a produção de aceiros antes da queima, a seleção de capoeiras e áreas abandonadas para plantio e sistemas agroflorestais para otimização dos cultivos. “Acreditamos que esse diálogo precisava ser de forma suave e didática, então surgiu a ideia do gibi, por ser uma ferramenta lúdica de narração de histórias. Precisamos dialogar com essa juventude sobre as mudanças climáticas e o aquecimento global, que já afetam a vida na Amazônia, e como a poluição gerada por práticas humanas, incluindo as queimadas para roçados, influem nesses processos. O mais importante é empoderar a juventude ribeirinha para que ela, sabendo dos seus direitos e deveres com relação ao uso da terra, também contribua para a manutenção da floresta em pé”, destaca ele. Conjunto O gibi possui a contribuição de cada um dos alunos atendidos pelo projeto e nasceu a partir de uma intensa vivência de Emerson e equipe nas comunidades ribeirinhas. “Foi onde desenvolvemos a primeira etapa de oficinas de formação de Jovens Ambientais Multiplicadores pelo Dicara-FAS. Seus personagens possuem características necessárias: diversos em raça, gênero, idade e personalidade”, coloca ele. Para Emerson, a obra possui êxito também por conseguir expressar o verdadeiro modo de vida caboclo, com sua fala, seus objetos, seus sabores, desafios e costumes. “Desde os detalhes das casas até os tipos de frutas locais, toda a composição foi pensada a partir de um contexto ribeirinho para que os adolescentes se percebessem na narrativa”, conta o biólogo. Ainda de acordo com Pontes, o papel da obra deve ir além do entretenimento. “Nossa expectativa é que o conteúdo do gibi possa ser utilizado e explorado principalmente como recurso didático pelos adolescentes, pois o intuito é que estes sejam multiplicadores dos conhecimentos em suas próprias comunidades. São muitas as possibilidades de uso: seja a contação da história em roda, seja através do teatro, da poesia ou mesmo para a produção de músicas, etc. Queremos acompanhar de perto esses processos”, diz ele. Em 2018, a equipe do projeto pretende expandir a distribuição do gibi e acompanhar a sua utilização diretamente pelos jovens. Sinopse No gibi, após ficar triste por perder a roça de açaí de sua família, Kaká viverá junto aos seus amigos, Ana e Joca, aventuras que os farão conhecer mais sobre os impactos do ser humano no clima do planeta Terra e como as queimadas para roça podem ser feitas de forma mais sustentável. Dona Maria e Seu Raimundo (avó e tio de Ana) irão compartilhar com as crianças conhecimentos do passado e práticas de futuro importantes nesta jornada. Tonho, o jabuti do Kaká, é o mascote da história. Saiba mais O gibi possui 22 páginas de história, um glossário, dois desafios em passatempos e também um pôster com o Ciclo das Mudanças Climáticas (para ser usado pelos adolescentes). Ficha técnica Superintendente Geral: Virgilio Viana Superintendente Técnico-Científico: Eduardo Taveira Coordenador do Programa DICARA: Ademar Cruz Elaboração Técnica e Conteúdo: Emerson Pontes Revisão de Conteúdo: Liane Lima, Victor Salviati, Nathalia Flores Revisão Técnica: Nathalia Flores Desenhos e Cores: Romahs Arte Final: Gusmão Projeto Gráfico: Felipe Lobo

Maquiador amazonense Charles Almeida vira o queridinho das celebridades em São Paulo

Charles Almeida integrou a equipe de maquiadores de Anitta nas gravações do clipe “Is That For Me” no Amazonas; e foi o único maquiador capaz de agradar a cantora Melanie C, do grupo Spice Girls, durante a estadia dela no Brasil Laynna FeitozaManaus (AM) Na última semana, a personagem Clara, da novela “O Outro Lado do Paraíso”, voltou triunfal para Palmas (TO), sua cidade natal. No Amazonas, um profissional também retornará à cidade em que nasceu com todas as honras a que tem direito. É o maquiador amazonense Charles Almeida, radicado há um ano em São Paulo. Ao contrário de Clara, ele não voltará para se vingar: retornará para compartilhar seus conhecimentos em um Master Class (aula-show) de maquiagem que vai acontecer hoje (21), na Casa Em Visão. Conhecimentos adquiridos com uma trajetória de muito trabalho, que o faz ser solicitado por celebridades como Anitta, Sabrina Sato, Marina Ruy Barbosa e até pela cantora britânica Melanie C, do grupo Spice Girls. Antes de se mudar para SP, Charles trabalhava em um salão de beleza na capital amazonense. Antenado, fez cursos em Manaus e na capital paulista para aperfeiçoar o seu trabalho. Indicado por um amigo para a agência Capa MGT – uma agência de modelos, maquiadores e cabeleireiros de São Paulo – ele foi escalado para trabalhar na novela “A Força do Querer”, gravada na comunidade do Acajatuba, localizada a duas horas de Manaus. “Aceitei na mesma hora e fiquei um mês maquiando os atores e atrizes da novela”, comenta ele. (Charles cuidou da beleza de Paolla Oliveira para uma campanha) Depois das gravações, a agência entrou em contato com o Projac para pedir um “feedback” do trabalho de Charles. Segundo ele, as recomendações foram as melhores possíveis. Com isso, a agência entrou em contato com ele novamente, informando que, se um dia Charles se mudasse para São Paulo, que os procurasse para conversar e alinhar algum outro trabalho. “Eu já estava pensando em me mudar para São Paulo. Só tive a certeza que era o momento certo de ir embora, de correr atrás dos meus sonhos. E respeitar minha vontade de trabalhar com celebridades ou campanhas de revistas ou TV”, conta ele. Primeira experiência (Almeida integrou a equipe de maquiadores de Anitta nas gravações do clipe “Is That For Me”, no Amazonas) Almeida já chegou em São Paulo trabalhando. Ao visitar a agência e fechar um contrato, ele foi escalado para maquiar os convidados e o balé oficial do programa Domingão do Faustão. “Eu não tive tempo para nada. Já cheguei trabalhando e desde aí tudo foi acontecendo”, relata. Com o tempo, Charles foi escalado para outra missão especial: ele foi um dos maquiadores de Anitta durante as gravações do clipe de “Is That For Me”, locado no Amazonas em outubro. “Ela foi uma das primeiras celebridades que maquiei. Fiz a maquiagem dela no segundo dia de gravações do clipe. Também fiz ela para shows, para coletivas de imprensa, e sempre que estou livre e ela precisa, vou e faço a maquiagem dela”, destaca Almeida. Uma estrela (Charles foi solicitado para permanecer maquiando a cantora Mel C durante estadia dela no Brasil) Uma experiência inesquecível para Charles foi cuidar da beleza da cantora Mel C, das Spice Girls, que passou uma temporada no Brasil em julho e se apresentou no programa Altas Horas. “Fiz a maquiagem dela para o programa e ela gostou demais. Pediu que eu ficasse com ela no restante dos dias que ela estaria no Brasil, porque ela estava com grande dificuldade de encontrar um maquiador que fizesse o tipo de make que ela amava. Isso foi muito importante pra mim”, declara ele. Outras artistas que ele já maquiou são Camilla Queiroz, Paolla Oliveira, Dandara Mariana, Samantha Schmutz, Alice Vieger, Nívea Maria, Fernanda Paes Leme, Letícia Birkheuer, e por aí vai. Maquiar as famosas foi desafiador para Charles porque, segundo ele, as famosas gostam de makes mais clean’s, diferente do que ele estava habituado em Manaus. Estilo de cada uma (O maquiador conhece os gostos da atriz Fiorella Matheis, que dispensa o uso de cílios postiços) Ao lidar com tantas celebridades, ele acabou aprendendo sobre o estilo de make favorito de cada uma. “No geral, elas sempre pedem uma beleza de ‘bonita’. Beleza de ‘bonita’ é uma beleza mais natural, clean, que não precisa carregar o olho ou a pele. Todas têm uma pele incrível, se cuidam muito”, afirma ele. A atriz Fiorella Matheis, por exemplo, ama um olho iluminado “quase nada”, e não usa cílios postiços. “É muito raro. Em todos os trabalhos que fiz com ela, ela nunca colocou. É sempre curvex e máscara de cílios. Ela gosta de uma pele iluminada, fina, sem muita base e corretivo. Nos lábios, um hidratante e um gloss, e sobrancelha não marcada”, pondera ele. Já a apresentadora Sabrina Sato ama um olho mais iluminado, com côncavo marrom. “Tem que fazer sempre nela, porque ela gosta. Ela ama demais cílios postiços, geralmente colocamos dois cílios postiços nela para dar um olhar mais poderoso. Ela ama gloss, iluminador. A Anitta não abre mão dos cílios postiços e do olho iluminado”, complementa. (Uso de dois cílios postiços é feito para incrementar o olhar de Sabrina Sato) Saiba mais Da esquerda para a direita, Charles posa com Camilla Queiroz, Marina Ruy Barbosa e Fernanda Paes Leme. No Master Class em Manaus, Charles vai falar sobre novas tendências, make fashion, e três estilos de makes feitas na hora para todos acompanharem o passo a passo. Serviço o quê: Master Class com Charles Almeida onde: Casa Em Visão Shopping Ponta Negra (Av. Coronel Teixeira, 5705, Santo Agostinho) quando Hoje (21), das 19h às 22h infos: (92) 98437-3076