Atualizações do Coronavírus: Pequim define novas regras de quarentena rigorosa

O mandato veio quando o governo chinês divulgou que centenas de trabalhadores médicos que estavam ajudando a combater o surto de coronavírus foram infectados e pelo menos seis morreram.

O número de mortos ultrapassou 1.500 e o número de infecções agora ultrapassa 66.000, segundo dados divulgados no sábado.

Procurando proteger a cidade de um grande surto, Pequim impõe novas regras de quarentena.

A televisão estatal chinesa anunciou em seu site na noite de sexta-feira que todos que retornarem a Pequim seriam obrigados a se isolar por 14 dias.

Qualquer pessoa que não cumprir “será responsabilizada de acordo com a lei”, de acordo com um texto da ordem divulgada pela televisão estatal. A ordem foi emitida por um “grupo líder” do Partido Comunista no nível municipal, não pelo Partido Comunista nacional.

Foi o último sinal de que os líderes da China ainda estavam lutando para estabelecer o equilíbrio certo entre reiniciar a economia e continuar a combater o surto de coronavírus.

Na terça e na quarta-feira, as principais autoridades do país cumpriram e emitiram ordens que incluíam um mandato para ajudar as pessoas a voltar ao local de trabalho de suas cidades. Dezenas de milhões haviam voltado para casa para comemorar os feriados do Ano Novo Lunar antes que o governo reconhecesse a seriedade da epidemia. Eles enfrentaram postos de controle do governo local no caminho de volta ao trabalho e depois longas quarentenas ao retornar às grandes cidades.

Mas, embora os líderes nacionais possam estar preocupados com o fato de as restrições e quarentenas de viagens estarem impedindo as empresas de encontrar trabalhadores suficientes para retomar a produção total, isso não impediu os líderes municipais de Pequim de reforçar ainda mais os controles na noite de sexta-feira na cidade.

A política pode reduzir as chances de as pessoas que retornarem do interior infectarem a elite do país.

As novas regras também exigem que os que retornam à cidade avisem com antecedência sua chegada às autoridades em sua área residencial. A China manteve extensos controles sobre os movimentos de cidadãos sob Mao, e algumas das instituições e regras desse período têm ressurgido recentemente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: