Search
Close this search box.

Grupo é preso com 1,7 tonelada de drogas, embarcações, 6 milhões de litros de petróleo e armas


As Forças de Segurança embarcadas na Base Fluvial Arpão 1 registraram, nesta terça-feira (19/06), dano recorde de cerca de R$ 110 milhões ao crime, no âmbito da Operação Fronteira Mais Segura/Protetor das Fronteiras. Os danos foram causados a partir da apreensão de duas balsas que transportavam petróleo oriundo do Peru, com mais de 1,6 tonelada de entorpecentes escondidos em meio ao combustível. Foram apreendidas, ainda, outras duas embarcações, seis milhões de litros de petróleo puro e quatro armas. Ao todo, nove pessoas foram presas.

O secretário de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) lembrou que essa é a segunda grande apreensão realizada pelas equipes embarcadas nas Bases Fluviais, em uma semana. Destacou, ainda, as ações voltadas para as abordagens às embarcações que estão desviando a finalidade e se voltando para o tráfico de entorpecentes.

“Nós tivemos, semana passada, uma grande apreensão, pouco mais de uma tonelada na Base Arpão 2 e, em menos de uma semana, conseguimos bater mais uma vez esse número. Nós avisamos que iríamos dar uma atenção diferenciada para todas essas balsas que transportam o combustível no estado. E nós vamos intensificar cada vez mais a fiscalização nas balsas de transporte de combustível no estado do Amazonas”, ressaltou o secretário.

A apreensão

As equipes da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) estavam cumprindo a operação Fronteira Mais Segura/Protetor das Fronteiras, quando por volta das 16h, desta terça-feira, abordaram uma balsa de transporte de petróleo oriunda de Bretanha/Peru, com destino a Manaus.

“Durante a abordagem, os cães policiais Havana e Kratus, da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CipCães) sinalizaram a presença de entorpecentes no interior de uma das bóias dos tanques de combustível. Ao terem realizado revista minuciosa, identificaram a presença de grande volume de pacotes no interior das boias”, informou o comandante da Base Arpão 1, capitão Adaumir Diego.

O subcomandante da PMAM, coronel Thiago Balbi, ressaltou a importância da participação dos cães de faro narcóticos nas bases fluviais. De acordo com ele, o Amazonas é o estado que mais conta com apoio dos policiais caninos na apreensão dos entorpecentes.

“Quero ressaltar, nessa apreensão, a importância dos nossos cães de faros para narcóticos, na região Norte, a polícia militar é a que mais tem fatos positivos com apreensão de drogas utilizando os cachorros. A SSP-AM e a polícia militar entendem que eles são importantes para essa estratégia que a gente utiliza para enfraquecer o narcotráfico”, ressaltou o subcomandante.

Ao todo, foram retirados 33 sacos com entorpecentes. Foram apreendidos 894,400 quilos de maconha tipo skunk, 465,500 quilos de pasta-base de cocaína, 308,060 quilos de cocaína, que totalizaram 1.667,96 tonelada de drogas. O dano foi orçado em R$ 64.267.500.

Além da droga, foram apreendidas, ainda, duas balsas de transporte de combustível, um empurrador e um bote com motor 15. Essas apreensões totalizaram mais de R$ 28 milhões. Foram apreendidos, também, 6 milhões de litros de petróleo bruto, avaliados em R$ 17.518.113,20.

Além dos entorpecentes, combustível e embarcações, a polícia encontrou, ainda, quatro armas, sendo uma espingarda calibre 12, duas pistolas 380 e uma pistola calibre 9 milímetros.

Procedimentos

Todo o material apreendido estava sendo escoltado por nove homens, que foram encaminhados para a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) embarcada na base. O grupo, de acordo com o delegado-geral adjunto da PC-AM, Guilherme Torres, foi preso em flagrante por tráfico de drogas.

“O delegado de Coari (José Barradas) está fazendo todo o procedimento. Foram apreendidos 6 milhões de litros de óleo que, provavelmente, veio do Peru, e estamos nesse momento analisando a legalidade documental desse produto e, se não tiver nas condições da lei, será apreendido e perdido em favor das forças de segurança. Além disso, é importante destacar que armamentos também foram retirados de circulação e isso reflete também no combate aos homicídios”, disse o delegado Guilherme.

Maior dano ao crime

A apreensão é a maior em danos ao crime registrada pelas Forças de Segurança, no âmbito da operação Fronteira Mais Segura/Protetor das Fronteiras, com um total de R$ 109.805.613,20.

Outra grande Apreensão

Em outra ocorrência, registrada no dia 12 de junho, os policiais da Base Arpão 2, que fica nas proximidades do município de Barcelos (a 399 quilômetros de Manaus), apreenderam cerca de 1,5 tonelada de maconha tipo skunk.

Com a apreensão, o prejuízo ao crime está estimado em mais de R$ 37 milhões. Além da droga, uma balsa, um empurrador e um bote, também foram apreendidos e quatro pessoas foram presas.

De acordo com o titular da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), Divanilson Cavalcanti, conforme o levantamento da Seai, as bases são alocadas em pontos estratégicos para combater o narcotráfico.

“O trabalho de levantamento das rotas utilizadas pelo narcotráfico faz parte do trabalho estratégico desenvolvido pela Seai, justamente para assessorar todas as Forças de Segurança. Esse trabalho também serve de posicionamento das bases, através desse trabalho de levantamento dessas rotas, nós podemos auxiliar as bases e assim buscar o êxito que vem acontecendo”, ressaltou o secretário.

FOTO: Divulgação e Carlos Soares/SSP-AM



Fonte

Compartilhe nas Redes

últimas noticias