Search
Close this search box.

Idam orienta agricultores sobre uso de hidrogel para redução de perdas agrícolas na estiagem 


Com a proximidade do início do verão amazônico e da estiagem, o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) promove métodos e tecnologias voltados à redução dos efeitos climáticos no setor primário local, ocasionados por conta do aumento da luz solar, calor intenso e falta de chuva. 

Entre as medidas divulgadas pelo Idam, uso de gel polímero, mais conhecido como hidrogel, na agricultura é uma alternativa econômica e eficiente para plantios sem sistema de irrigação ou para aumentar o intervalo da irrigação. A utilização do produto pode contribuir para a redução de prejuízos e pode ser adaptada às particularidades de cada cultura.

Em visita de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) ao sítio Dannina, em Iranduba (a 27 quilômetros da capital), o engenheiro agrônomo do Idam, Antônio Joaquim Oliveira, realizou a demonstração do hidrogel em duas variedades frutíferas. Na ocasião, ele explicou a importância de associar o produto ao manejo adequado das culturas.

“Na estiagem todas as atividades são afetadas, seja a produção animal ou vegetal. Por isso, é importante que o produtor esteja atento ao uso de variedades resistentes e entre os pontos que devem ser levados em consideração estão o cultivo ser realizado no período adequado para cada cultura, a realização de análise de solo, tratos culturais, adubação, controle de pragas, pois tudo faz parte de um sistema e complementa o outro”, explicou.

Aplicação do produto

O gel polímero age como um reservatório, com a liberação de água de forma gradual para atender a necessidade da plantação. É importante ressaltar que o produto não afeta a qualidade das sementes, folhas ou frutos e age para manter a planta hidratada. 

O engenheiro agrônomo informa que o hidrogel pode ser adquirido em casas agropecuárias, sem exigência de receita. Porém, a aplicação do produto no cultivo deve ser realizada com as quantidades adequadas para cada cultura, seja ela temporária ou permanente.

O preparo do hidrogel, seja orgânico ou sintético, é bem simples: para solo argiloso, mistura-se 2,5 gramas para cada litro de água, enquanto para solo arenoso a mistura é de 5 gramas para cada litro de água.

“O ideal é sempre realizar uma análise de solo para verificar a necessidade de calcário, macros e micronutrientes. Esses nutrientes são aplicados no preparo da cova e passados pelo menos 30 dias, retira-se esse material e coloca-se o adubo orgânico de gado ou galinha. Aí, sim, adiciona o hidrogel preparado no solo e faz o plantio”, pontuou.

FOTO: Marfram Vieira/Idam



Fonte

Compartilhe nas Redes

últimas noticias