Retomada na produção na China anima indústria amazonense

Manaus – A indústria amazonense voltou a respirar aliviada quanto a segurança dos seus estoques de insumos e componentes, importados da indústria chinesa, com a recente retomada da produção industrial de Wuhan, cidade chinesa que foi o epicentro o novo coronavírus e das demais regiões industriais. Mas, as empresas de Manaus ainda podem sentir prejuízos de desabastecimento em meados de maio, ou até mesmo um pouco antes, por conta do tempo de transporte da nova produção chinesa.

A afirmação é do presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), José Jorge do Nascimento Junior. “Um navio passa em média cerca de 3 meses para chegar aqui [no Brasil] saindo da China. Em fevereiro não saiu quase nenhum navio da China. Então, devemos ter algum problema de falta de insumos em maio ou próximo. Mas os navios já começaram a sair nesta semana”, afirmou.

Diante do cenário, Jorge Junior disse que as empresas estão atuando para ajustar a produção dentro do que elas têm de insumos, de modo que não haja interrupção na produção. Mas, ainda assim afirmou que há algum risco em situações pontuais, caso os insumos não cheguem no período de 45 a 60 dias. “A possível falta de insumos pode prejudicar a produção e com isso toda a cadeia”, salientou Jorge Junior.

Sobre mensurar os prejuízos, o presidente da Eletros disse que no momento não se tem o percentual, mas afirmou que diante da crise do novo coronavírus não espera crescer 5 a 10%. “Estamos trabalhando para que não haja paralisações como disse. Mas hoje o viés é de baixa. Não sabemos quanto será a queda”, ponderou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Fique a vontade!