Conheça a “Vanessa” que salva vidas!

Uma tecnologia de baixo custo que está sendo muito eficaz para frear o avanço da pandemia. No Amazonas, o dispositivo está sendo usado em mais de 40 municípios.

Reconhecida pelo Ministério da Saúde, a “Cápsula Vanessa” é um dispositivo criado pela Samel em parceria com o Instituto Transire, que vem sendo usado desde março no combate à Covid-19. O Fisioterapeuta da Samel, Manoel Amorim, foi quem idealizou e construiu o método que tem ajudado a diminuir o risco de transmissão do vírus.

Estrutura do novo método

A cápsula é montada com materiais de baixo custo, sua estrutura é feita de canos de PVC e revestimento de plástico transparente. Ela possui o formato de cabine, que fica sobre o paciente infectado, permitindo a chamada Ventilação Não Invasiva (VNI), com o uso de bipaps. Além de proteger os profissionais de saúde das partículas do coronavírus lançadas no ar.

A alternativa reduz a necessidade de intubação e não representa maiores incômodos aos pacientes, como dores e desconfortos no trato respiratório. Já na intubação orotraqueal precoce, além de invasiva, o risco de infecções e efeitos colaterais é maior.

Foto: Reprodução/ Internet

Curiosidade da Cápsula “Vanessa”

O nome do dispositivo foi escolhido em homenagem a primeira paciente de Manaus,Vanessa Xavier, de 33 anos. Ela pertencia ao grupo de risco, e logo foi para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), onde precisou ser entubada, até então, não havia uma opção menos invasiva.

Eficácia comprovada

Com o número de vítimas subindo em Manaus, logo os hospitais da Samel começaram a manusear o novo método. No início, 500 pacientes usaram o equipamento, onde os médicos
notaram uma redução no tempo de tratamento, de 20 dias para 5. Os hospitais que fizeram uso do equipamento somam mais de 1500 altas médicas.

Quem pode usar

Pacientes que apresenta dificuldade de respiração, e usa o dispositivo de forma precoce no combate à Covid-19, evita esse tipo de intervenção. Assim, é possível reduzir o número de pacientes que precisam ser encaminhados para as Unidades de Terapia Intensiva (UTI), que já sofrem por falta de equipamentos.

Compartilhando a descoberta

Após comprovar a eficácia da “Cápsula Vanessa” o presidente da Samel, Luis Alberto Nicolau, compartilhou o método com outras instituições para o combate à pandemia, sem cobrar qualquer custo. A nova alternativa já ganhou reconhecimento no Brasil e em outras partes do mundo. Estados como Bahia, Maranhão e São Paulo já fazem uso da cápsula.