Search
Close this search box.

Semasc realiza ação de abordagem social a famílias em situação de trabalho infantil


A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc) realizou, nesta quinta-feira, 20/6, uma ação de abordagem social direcionada a famílias em situação de trabalho infantil em pontos das zonas Oeste e Sul da cidade. A iniciativa teve como objetivo identificar e oferecer suporte às famílias e crianças envolvidas em situação de exploração.

As equipes da Semasc, compostas por assistentes sociais e psicólogas, visitaram áreas identificadas como locais onde o trabalho infantil é uma realidade presente. Durante as abordagens, os técnicos procuraram compreender as necessidades das famílias e oferecer orientação sobre os direitos das crianças e adolescentes.

A diretora do Departamento de Proteção Social Especial (DPSE), Neila Sardinha, enfatizou a importância da ação para identificar e oferecer assistência a famílias com crianças e adolescentes em situação de rua.

“Hoje é uma ação integrada, conjunta, intersetorial, com vários órgãos de Defensoria Pública e as instituições parceiras da Semasc. E o nosso trabalho é um trabalho minucioso, delicado. A gente vai nas sinaleiras, verificando se tem algumas famílias com crianças e adolescentes, fazendo um trabalho de identificação dessas famílias, de orientação e de oportunizar serviços socioassistenciais”, explicou.

“Realizamos todo um trabalho de conquista, de sensibilização para assim, levar até o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), para que seja disponibilizado os serviços socioassistenciais, que são o Cadastro Único, encaminhamentos, orientação psicossocial, um trabalho todo intersetorial com essas famílias para que a gente consiga a retirada deles das sinaleiras”, concluiu .

A representante do Centro de Formação Vida Alegre (CFVA), Maura Pantoja, destacou o trabalho e a importância da parceria com a Semasc em ações de enfrentamento ao trabalho infantil, enfatizando as consequências negativas desse tipo de exploração na vida das crianças, tanto emocionalmente quanto em seu desenvolvimento.

“Trabalhamos com crianças, adolescentes, pessoas em situação de rua e famílias no fortalecimento de vínculos na média complexidade. E a nossa parceria com a Semasc é de suma importância para o enfrentamento contra o trabalho infantil. Sabemos que esse tipo de exploração ocasiona muitas perdas para as crianças, tanto na área emocional como no desenvolvimento delas. E estamos aqui hoje para garantir essa proteção de crianças e adolescentes”, salientou.

A chefe da Média Complexidade, Márcia Helena Braga, explicou como foi feito o encaminhamento das crianças para o Conselho Tutelar e para o Creas Sul, devido a violações de direitos. Ao todo, foram identificadas seis crianças em situações de violação de direitos.

“Nesse primeiro momento conseguimos, juntamente com as instituições parceiras da Defensoria Pública, Instituto Jovens do Futuro e Centro de Formação Vida Alegre, identificar a situação de violação de direito dessas crianças e fazer os devidos encaminhamentos para que sejam atendidas e tiradas dessa situação”, concluiu.

— — —

Texto – Camili Vitória / Semasc 

Fotos– Diego Lima / Semasc



Fonte

Compartilhe nas Redes

últimas noticias